Abaixo assinado com 100 mil assinaturas cancelou seriado da Globo: “Preconceito”


Uma ação popular conseguiu cancelar seriado que era a maior promessa da rede Globo (Foto Reprodução/Internet)
Uma ação popular conseguiu cancelar seriado que era a maior promessa da rede Globo (Foto Reprodução/Internet)

Uma ação popular inesperada, acabou retirando produção da Globo do ar, por conta de cenas polêmicas

Em meados do início da década de 80, poucos meses após o termino do sucesso “Malu Mulher” que foi protagonizada pela veterana Regina Duarte, a Globo apostou em uma outra produção chamada “Amizade colorida” com Antônio Fagundes vivendo um fotografo machista em busca de um romance fixo e consolidado. Porém as críticas  a ação da censura que a produção sofreu, fez com que a obra tivesse uma duração bem curta.

Fora isso as mulheres protestaram contra a trama; um abaixo assinado com mais de  mil assinaturas foi entregue ao Ministério da Justiça, na época e repercutiu efeito.

Antônio Fagundes, interpretando Edu, em "Amizade Colorida" (1981)- (Foto Reprodução/Memória Globo)
Antônio Fagundes, interpretando Edu, em “Amizade Colorida” (1981)- (Foto Reprodução/Memória Globo)

A série era para se chamar “Edu Homem”, “Amizade Colorida” foi escolhida para ser o nome oficial afim de não ficar parecido com “Malu Mulher”. Em uma entrevista concedida para o Jornal Brasil, em 1981, Cleusa Maria falou sobre as expectativas dos autores Armando Costa, Bráulio Pedroso, Domingos de Oliveira e Lenita Ploncynski:

“Edu é acima de tudo, um homem livre. Nem viúvo, nem casado, nem divorciado. Sem Valores estabelecidos, é uma pessoa à procura de estabilidade econômica e emocional. Indagador, torna-se, assim, na opinião de Bráulio Pedroso, um personagem aberto, bom para um seriado” – Revelou ela

+Tássia Camargo se envolveu em confusão na Record e deu o troco na emissora: “Não piso mais”

Um ponto final na série polêmica

Uma similaridade entre as duas produções, é que tanto “Malu Mulher” como “Amizade Colorida” tocavam em assuntos e temas bem delicados. Por exemplo, logo no primeiro episódio, Edu sofreu com uma impotência. Vale destacar que Maria Helena Dutra enxergou tal cena como algo engraçado.

Outra situação que causou certa repulsa no público quanto a série, foi uma situação envolvendo mãe e filha, interpretadas por Tamara Taxman e Carla Camurati, aonde elas se envolviam com Edu, nem preciso dizer aqui o quão polêmico isso soou para o público dos anos 80. Daí por diante, a série começou a receber uma serie de ações da censura, sendo qualificada como “baixo padrão moral”, vale mencionar  que em 1981, o Brasil ainda estava sob o poderio militar.

Por conta de inúmeras situações polemicas para a época, seriado sofreu diversas ações da Censura (Foto Reprodução/Memória)
Por conta de inúmeras situações polemicas para a época, seriado sofreu diversas ações da Censura (Foto Reprodução/Memória Globo)

O tal abaixo assinado mencionado anteriormente, foi justamente por conta desse triângulo amoroso  impróprio, e foi confeccionado por mulheres que residiam no “Alto de Santana”, em São Paulo. As assinaturas chegaram na marca de 100 mil nomes, e foi levada ao ministro da Justiça, Ibrahim Abi- Ackel.

Fora essa cena, outra ainda foi ainda mais campeã em cortes, a ponto de nem ser exibida foi no episódio “Em Bagunça”, Edu se hospedava na casa de uma de suas namoradas e passou a assumir todas as responsabilidades domésticas, causando assim uma situação confusa no ambiente. Os advogados da emissora chegaram a recorrer com um recurso no “Serviço de Censura Federal” como sinal de repúdio aos vetos.

Antônio Fagundes ficou revoltando com o desfecho do seriado, que foi praticamente cancelado por um a ação popular, fora a censura (Foto Reprodução/Internet)
Antônio Fagundes ficou revoltando com o desfecho do seriado, que foi praticamente cancelado por um a ação popular, fora a censura (Foto Reprodução/Metamorfose Televisiva)

Esses problemas todos, fizeram com que o programa durasse menos tendo apenas 11 episódios exibidos. Vale destacar, que na década de 80 as tramas costumavam durar bem mais. A série exibiu seu último episódio no dia 29 de junho de 1981.

Rose Esquenazi chegou a entrevistar o diretor Paulo Afonso Grisoli que assumiu que o fim da trama, foi provocado pela Censura. Na mesma reportagem. ele contou que Antônio Fagundes ficou extremamente irritado:

“No inicio, quando estávamos discutindo a proposta do seriado, já haviam saído várias críticas metendo o pau. Acho que aconteceu um preconceito. Uma posição chata assumida pela imprensa” – Desabafou

Amizade Colorida foi sumariamente substituída pela série “Obrigado Doutor”, protagonizada por Francisco Cuoco, e acabou ganhando um reprise em 1995, dentro de um festival aonde se comemorava 30 anos de rede Globo.

Francisco Cuoco em "Obrigado Doutor", série que ganhou reprise em 1995 em comemoração aos 30 anos de Rede Globo (Foto Reprodução/Memória)
Francisco Cuoco em “Obrigado Doutor”, série que ganhou reprise em 1995 em comemoração aos 30 anos de Rede Globo (Foto Reprodução/Memória Globo)

 

 

 

Lennita Lee

Autor(a):

Lennita Lee

Meu nome é Lennita Lee, tenho 32 anos, nasci e cresci em São Paulo. Viajei Brasil afora, e voltei para essa cidade, afim de recomeçar a minha vida. Sou formada em moda pela instituição "Anhembi Morumbi" e sempre gostei de escrever. Minha maior paixão sempre foi a dramaturgia Também sou viciada em grandes produções latino americanas e mundiais. A arte é o que me move ....