Após show de estrelismo nos bastidores, autor jurou nunca mais trabalhar com atriz: “Não gostava”


Atriz teve ataque de estrelismo e fez autor de novela jurar nunca mais trabalhar com ela (Foto: Reprodução)
Atriz teve ataque de estrelismo e fez autor de novela jurar nunca mais trabalhar com ela (Foto: Reprodução)

O Autor teve uma péssima experiencia ao trabalhar com estrela global que demostrou um comportamento inadequado durante as gravações

O processo para que uma novela saia do papel é demorado e envolve muitas pessoas. Autor, diretor, produtores, atores e muitas outras pessoas. Contudo, quando uma atriz e o autor da novela não se dão bem, as chances de o produto final não ser bom, são enormes.

Atualmente em Um Lugar ao Sol, a atriz Andréa Beltrão esteve longe das telinhas por mais de 19 anos. Seu currículo é bastante extenso, porém, tem um autor que não guardou boas recordações da atriz.

Atriz Andréa Beltrão (Foto: Reprodução, Globo)
Atriz Andréa Beltrão (Foto: Reprodução, Globo)

A princípio, Carlos Lombardi é um autor de telenovelas, roteirista e produtor de televisão brasileiro. No livro A seguir, cenas do próximo Capitulo, o autor apontou que Andréa Beltrão não demostrava gostar de atuar. “Ela não gostava do que estava fazendo. E parecia não gostar com quem estava contracenando”. Esse momento se trata de quando a atriz estava na novela Vira-Lata.

Além disso, o autor ainda chegou a chamá-la de chata. “A Andréa Beltrão foi chata pra caramba! Nunca mais pretendo escrever ou trabalhar com ela na vida.”

Grandes Novelas em seu Currículo

Carlos Lombardi é um dos principais autores de novela do Brasil. Formado em comunicação, iniciou sua carreira na TV escrevendo roteiros do Telecurso e as novelas Como Salvar Meu Casamento, da Tupi, e de O Todo-Poderoso, da Band, ambas em 1979. Na década seguinte, após passagem pela TV Cultura, assinou com a Globo para se tornar braço-direito de Silvio de Abreu em novelas das 19h.

Carlos Lombardi (Foto: Reprodução)
Carlos Lombardi (Foto: Reprodução)

A estreia como autor titular foi em Vereda Tropical (1984), ainda em parceria com Silvio de Abreu. O estilo de comédia pastelão e anárquica, com aposta em um ritmo frenético, muita ação e sensualidade, se consolidaria nos trabalhos seguintes, todos às 19h: Bebê a Bordo (1988), quatro por quatro (1994), Uga Uga (2000) e Kubanacan (2003) foram alguns dos grandes sucessos.

Ainda na Globo, participou de diversos projetos, foi supervisor de texto, além de assinar séries, minisséries e roteiros de filmes. Contudo, em 2013, foi contratado pela Record para escrever Pecado Mortal, trama ambientada nos anos 1970 com todas as marcas de seu estilo. A emissora chegou a anunciar um especial sobre os Mamonas Assassinas escrito pelo autor, o que nunca saiu do papel.