Apresentadora da Record, após anos, assumiu ter escondido diagnóstico de HIV do irmão: “Não podia contar”


Apresentadora da Record fez um relato comovente sobre o irmão (Foto Reprodução/Montagem/Fatos da Tv)
Apresentadora da Record fez um relato comovente sobre o irmão (Foto Reprodução/Montagem/Fatos da Tv)

Apresentadora da Record chocou ao falar sobre a morte do seu irmão que era portador do vírus HIV

Adriane Galisteu, uma das maiores apresentadoras da Record, e uma das mais queridas pelos brasileiros, comoveu o público ao revelar que teve que esconder o diagnóstico de HIV do irmão. A revelação bombástica aconteceu durante a participação da apresentadora no programa “Faustão na Band”.

Adriane Galisteu no "Arquivo Confidencial" (Foto Reprodução/Internet)
Adriane Galisteu no “Arquivo Confidencial” (Foto Reprodução/Internet)

Durante o quadro “Arquivo Pessoal”, Adriane Galisteu falou sobre assuntos bem pessoais e citou a morte do irmão Alberto, que partiu no ano de 96. Muitos nem faziam ideia mas ele era portador do vírus HIV, e faleceu com apenas 28 anos, porém a causa da morte foi mantida em sigilo devido ao medo do preconceito. Vale mencionar que nas décadas de 80/90 o preconceito ainda era muito grande quanto a doença:

“Não podia contar a história na época porque minha mãe não queria que eu falasse, até porque a doença carregava um preconceito enorme. Para encontrar alguém que desse a mão para você, era muito difícil” – Contou Adriane

Adriane Galisteu falou do irmão no "Arquivo Confidencial" (Foto Reprodução/Band)
Adriane Galisteu falou do irmão no “Arquivo Confidencial” (Foto Reprodução/Band)

Além de falar desse drama familiar, Galisteu falou sobre os ataques que sofreu por causa do relacionamento vivido com o saudoso piloto de Fórmula 1, Ayrton Senna.  De acordo com a apresentadora, logo após a morte de Senna, que ocorreu em 94, ela passou por muitas dificuldades para conseguir emprego:

“Era dureza real. Fui viver de favor na casa de amigos do Ayrton. As pessoas não queriam me contratar. Eu era modelo na época, mas ninguém queria a minha imagem, que estava ligada a um ídolo mundial que havia acabado de morrer numa tragédia

A loira ainda ainda revelou que na época foi chamada de oportunista por algumas pessoas, mas ressaltou que não deixou se abalar com as ofensas:

“A gente não pode deixar de acreditar na gente porque às vezes as pessoas fazem de tudo para colocar a gente para baixo. Fui chamada de oportunista, de tudo um pouco, mas eu nunca acreditei no que estavam falando. Eu acredito mais em mim”

Adriane Galisteu e Ayrton Senna (Foto Reprodução/Internet)
Adriane Galisteu e Ayrton Senna (Foto Reprodução/Internet)
Lennita Lee

Autor(a):

Lennita Lee

Meu nome é Lennita Lee, tenho 32 anos, nasci e cresci em São Paulo. Viajei Brasil afora, e voltei para essa cidade, afim de recomeçar a minha vida. Sou formada em moda pela instituição "Anhembi Morumbi" e sempre gostei de escrever. Minha maior paixão sempre foi a dramaturgia Também sou viciada em grandes produções latino americanas e mundiais. A arte é o que me move ....