Talentosa apresentadora da Globo faleceu cedo demais após enfrentar batalha contra leucemia


Jornalista fez parte da bancada do Jornal Hoje (Foto: reprodução/Montagem/Fatos da TV)
Jornalista fez parte da bancada do Jornal Hoje (Foto: reprodução/Montagem/Fatos da TV)

A jornalista possuía uma carreira brilhante na Globo e desempenhou um importante na papel transição do jornalismo na emissora

A jornalista Márcia Mendes nasceu em Três Lagoas, Mato Grosso do Sul, em 9 de dezembro de 1946. Entrou para a Globo em 1975, na bancada do Jornal Hoje. Apresentou também o Fantástico e fez matérias especiais para o Jornal Nacional.

Aos 24 anos, Márcia, depois de sair um casamento que durou um ano, ela se mudou para o Rio de Janeiro, onde se tornaria editora de moda das revistas Desfile e Manchete, ambas da Bloch.

Então, enfrentou sérios problemas de saúde que a obrigaram a se submeter a uma cirurgia que a impediria de ter filhos. Assim, o episódio, segundo pessoas que conviveram com a jornalista, que tinha o sonho de ser mãe, marcaria a sua vida.

Márcia Mendes no Jornal Hoje (Foto: reprodução/Montagem/Fatos da TV)
Márcia Mendes no Jornal Hoje (Foto: reprodução/ Globo)

A redação apostou na informalidade

Dessa forma, em 1975, Márcia Mendes ingressou na Globo pelas mãos do então diretor da Central Globo de Jornalismo, Armando Nogueira, que a convidou para apresentar o Hoje.

 Assim, na bancada do telejornal, inovou ao usar gírias para se aproximar do público. Logo, passou a acumular as funções de apresentadora e editora de moda do jornal.

Depois, partir de 1976, o Jornal Hoje começou a investir na sua audiência majoritária na época: o público jovem feminino. Um trio de jornalistas, formado por Ligia Maria, Sônia Maria e Márcia Mendes assumiu a direção do jornal na Globo.

A linha editorial apostava na informalidade, mas buscava inovações com mudanças na estrutura do jornal e a criação de novas seções.

Márcia também apresentou o telejornal Amanhã, que substituiu o Jornal Internacional com uma proposta ousada em termos de linguagem.

Márcia Mendes e Jose Wilker (Foto: reprodução/ Globo)
Márcia Mendes e Jose Wilker (Foto: reprodução/ Globo)

A jornalista foi desenganada pelos médicos

Dessa forma, Amanhã apostava em uma atmosfera de informalidade, tanto no texto – mais elaborado e criativo do que nos outros telejornais da emissora – quanto na apresentação mais descontraída, com Márcia Mendes e Carlos Campbell narrando notícias curtas, quase em um tom de diálogo.

Em 1977, Sérgio Chapelin passou a apresentar o Amanhã, e Márcia Mendes e Carlos Campbell foram para o Fantástico, Globo. Naquela época, os temas nacionais ganhavam um novo enfoque no jornalismo da emissora, e a discussão de questões pertinentes ao Brasil começou a fazer parte da pauta do programa.

Por fim, em meados de 1978, Márcia voltou a enfrentar problemas de saúde com um quadro profundo de leucemia. Chegou a ter uma embolia no cérebro, que paralisou seu braço direito e ameaçou as cordas vocais. Exames detectaram uma infecção nas válvulas do coração.

Submeteu-se a diversas cirurgias, foi desenganada pelos médicos duas vezes, mas se recuperou e voltou ao vídeo. Em 1979, no entanto, voltou a ficar doente e foi internada.

Neste período, recebeu centenas de cartas de admiradores de todo o Brasil. No dia 6 de julho, aos 34 anos, depois de um período em coma, a jornalista teve uma parada cardíaca e morreu.

Márcia Mendes no Jornal Hoje (Foto: reprodução/Montagem/Fatos da TV)
Márcia Mendes no Jornal Hoje (Foto: reprodução/ Globo)
Bruna Alves

Autor(a):

Bruna Alves

Eu sou Bruna Alves, redatora de notícias da televisão e celebridades desde 2016, com passagens em alguns sites da área ao logo desse tempo. No FATOS DA TV, trago notícias com credibilidade e responsabilidade aos leitores, relembrando acontecimentos passados da TV e dos famosos, mas também deixando os leitores atualizados com assuntos da atualidade.