Ator sofreu acidente sério em cena de tiro na Globo e pensou em tirar a própria vida


Carlos Vereza sofreu acidente durante gravação de série da Globo. (Foto: reprodução/Montagem/Fatos da TV)
Carlos Vereza sofreu acidente durante gravação de série da Globo. (Foto: reprodução/Montagem/Fatos da TV)

Ator Carlos Vereza sofreu acidente durante gravação de série da Globo

Atualmente no ar na reprise de “O Rei do Gado” na Globo, onde interpreta o Senador Caxias, Carlos Vereza enfrentou um grande desafio nos bastidores de uma série que gravou no canal.

Durante as gravações de “Delegacia de Mulheres”, em 1990, um tiro que deveria ser apenas um efeito especial causou uma lesão grave dentro do ouvido do ator, o que desencadeou uma labirintite, doença que provoca tontura e náusea, forçando-o a interromper o trabalho.

Vereza foi internado em várias clínicas e os médicos afirmaram que não havia cura para sua condição. Desesperado e sem religião, ele decidiu se aproximar do espiritismo para tentar aliviar a dor. “Fiquei com labirintite e tive que parar de trabalhar, o que me levou à depressão. Procurei o centro Frei Luiz, indicado por uma tia católica que me disse que um primo havia sido curado lá de leucemia. Em sete meses, eles me curaram”, relatou o ator em entrevista à Folha de S. Paulo.

Ator Carlos Vereza. (Foto: reprodução/Globo)
Ator Carlos Vereza. (Foto: reprodução/Globo)

Ator quase tirou a própria vida

Durante a fase mais difícil, o ator chegou a pensar em suicíd*. No entanto, com o tempo, ele se recuperou e voltou a trabalhar em grandes produções, como a novela “O Cravo e a Rosa”. Mais recentemente, Vereza enfrentou críticas por ter manifestado publicamente seu apoio à candidatura de Jair Bolsonaro. Ele defendeu Regina Duarte, que se tornou ministra da Cultura do governo por um tempo, mas foi atacado por José de Abreu por causa disso.

Veterano esteve em várias produções clássicas. (Foto: reprodução/Internet)
Veterano esteve em várias produções clássicas. (Foto: reprodução/Internet)

O ator chegou a se arrepender de ter apoiado o presidente e afirmou que acredita em Sérgio Moro para as eleições de 2022. Apesar das dificuldades, Carlos Vereza tem um currículo repleto de grandes novelas, como “Selva de Pedra” (1972), “Pátria Minha” (1994) e “O Rei do Gado” (1996).