Atriz da Globo descobre doença sem cura e se afasta da televisão: “Pensei em suicídio muitas vezes”


Atriz da Globo (Foto: Reprodução)

Atriz da Globo fez um forte relato sobre uma doença forte e incurável que foi descoberta

Foi lá no ano de 1999 que esta atriz estreou na Globo dentro da produção A Turma do Didi que ficou vários anos na emissora. Depois do programa, ela foi para o Zorra Total no ano de 2000 e chegou a participar das novelas O Clone (2001) e América (2005).

Depois disso houve uma participação dela em Donas de Casa Desesperadas, programa da RedeTV de 2007. Aí foi a vez da Record chegar em sua carreira como atriz já que fez uma participação em Bela, a Feia em 2009. O último trabalho dela na emissora foi Milagres de Jesus (2014) até que em 2018 voltou para a Globo.

+ Estrela da Globo pulou do décimo andar do prédio em morava e acabou com a própria vida, abalando a todos

Na Globo ela fez Orgulho e Paixão, depois disso, Franciely Freduzeski se afastou da sua carreira na TV. Neste tempo foi diagnosticada com fibromialgia que tem tratamento para minimizar a doença, mas a mesma é incurável.

PENSOU EM TIRAR A PRÓPRIA VIDA

A fibromialgia causa muitas dores no corpo, muda os ciclos de sono, dá fadiga e faz com que a pessoa crie ansiedade e depressão. E foi o que aconteceu com a atriz que em entrevista para revista Quem contou que pensou em tirar a própria vida.

“Pensei em suicídio muitas vezes. Não aceitava como eu estava. Sempre fui extremamente saudável, ativa. Do nada, me vi doente. Corria na areia, eu era rata de academia, depois não conseguia passear com meus cachorros. Me sentia muito culpada, inútil, um peso na vida das pessoas”, contou em 2022.

+ Ator querido da Globo fez pedido de cortar o coração no leito de morte: “Não perca sua alegria”

Franciely Freduzeski (Foto: Reprodução)

“Quem tem fibromialgia tem depressão. Não tem como estar feliz sentindo dor 24 horas. Sua vida vai mudando. Você se vê limitada. Você não faz nada do que você fazia antes: não trabalha, não namora, não se diverte. Às vezes, fico tão mal que fico sem andar por 3 dias. Não consigo dançar a noite inteira. Não posso nem usar mais salto. Quando você fica reclusa, a cabeça vai pirando”, pontuou.