Atriz foi esquecida pela Globo após perder a família e lutar contra doença rara: “Fiquei sozinha”


Atrizes de sucesso da Globo em Pão Pão, Beijo Beijo (Foto: reprodução/Globo)
Atrizes de sucesso da Globo em Pão Pão, Beijo Beijo (Foto: reprodução/Globo)

Completamente sozinha, a artista que fez muito sucesso na Globo, fez longo desabafo sobre suas perdas e sobre sua luta contra uma doença rara

A atriz Maria Cláudia nasceu no Rio de Janeiro, no dia 9 de outubro de 1949, e em 1978, acabou eleita pelo programa “Fantástico”, da Globo, a mulher mais bonita do Brasil.

Na época, a atriz viveu grandes personagens nas novelas da emissora, porém a atriz está longe da televisão ha alguns anos.

Contudo, a carreira da artista teve uma reviravolta gigante ao descobrir que possuía um problema nas cordas vocais, que ao longo do tempo acabou se agravando cada vez mais, a deixando completamente sem voz.

Então, em uma entrevista ao jornal “O Globo”, a atriz fez um longo desabafo mais sobre esse momento de sua vida.

Disseram-me que foi câncer, mas eu só sei que eu perdi meu pai, minha melhor amiga, que eu considerava uma irmã de sangue, e minha mãe, um depois do outro“, contou emocionada.

“Minha mãe morreu em 28 de agosto de 1984″, começou ela. Pensei que fosse a última perda, mas no reveillon daquele ano, fiquei sem a voz. E era tudo emocional. Afinal, tinha perdido tudo que eu tinha na minha vida. Sou filha única. Fiquei sozinha”, disse Maria Cláudia.

Maria Cláudia em Pão Pão, Beijo Beijo (Foto: reprodução/Globo)
Maria Cláudia em Pão Pão, Beijo Beijo (Foto: reprodução/Globo)

A voz da artista nunca mais foi a mesma

Então, para que a voz voltasse ao normal, precisou de anos de tratamento, mas a atriz da Globo conseguiu. Assim, em 1992, fez parte do elenco de “Deus nos Acuda”, de Silvio de Abreu, onde deu vida à personagem Kelly, que era uma perua.

Porém, após esse trabalho, Maria Cláudia explicou, ainda na entrevista, o motivo pelo qual não conseguiu mais trabalho na Globo e foi esquecida.

“Não pintou mais convites, mas não sei o motivo. Tenho, inclusive, o maior carinho por todos na emissora. Mas, como não me chamavam, e pedra que não rola cria limo, pensei que estava na hora de correr perigo. Nascer, viver e morrer no mesmo lugar é muito limitado”, ressaltou a atriz.

“Eu voltel com a voz rouca, mas tem tanta atriz assim, né? Não sou o tipo de pessoa que fica chateada e magoada. Achei que a vida estava me colando para fazer mais teatro. Acredito em designios“, começou a artista.

E continuou: “E aprendi que as portas se fecham, mas também se abrem. Quem fica magoado fica com a energia estagnada. Não quero raiva, mágoa, esses sentimentos dentro de mim”.

O ano de 2004 marcou a retomada de sua carreira, atuando no teatro. A artista da Globo foi contratada pela Record em 2004, onde atuou na nova versão de “A Escrava Isaura”; em seguida, fez “Os Mutantes – Caminhos do Coração” (2007) e “Amor e Intrigas” (2008).

Foi para o SBT, onde esteve no remake de “Uma Rosa com Amor” (2010); seu último trabalho na televisão, até o momento, foi no seriado “Louca Família”, da Record.

Atriz Maria Cláudia. (Foto: reprodução/TMDB)
Atriz Maria Cláudia. (Foto: reprodução/TMDB)
Bruna Alves

Autor(a):

Bruna Alves

Eu sou Bruna Alves, redatora de notícias da televisão e celebridades desde 2016, com passagens em alguns sites da área ao logo desse tempo. No FATOS DA TV, trago notícias com credibilidade e responsabilidade aos leitores, relembrando acontecimentos passados da TV e dos famosos, mas também deixando os leitores atualizados com assuntos da atualidade.