Atriz talentosa da Globo morreu cedo demais mas deixou um legado valioso


Atriz lutou contra um câncer antes de falecer (Foto: Reprodução)
Atriz lutou contra um câncer antes de falecer (Foto: Reprodução)

Carismática e dona de um talento enorme, a atriz deixou a sua marca no cinema, teatro e televisão durante sua breve passagem

A atriz Regina Maria Dourado nasceu em Salvador, Bahia, em 22 de agosto de 1953. Ela começou a atuar aos 15 anos de idade, na Companhia Baiana de Comédias, de Leonel Nunes. Contudo, Regina não sonhava em ser atriz, queria ser dançarina, cantora, ou professora universitária.

Então, ela começou a dançar no Grupo de Dança Contemporânea da Universidade Federal da Bahia, e fez parte do Grupo Zambo e do Coral Ars Livre. Assim, em 1978 ela foi convidada pelo diretor Walter Avancini para participar do especial A Morte e a Morte de Quincas Berro d’Água (1978), exibido no programa Caso Especial. Também, no mesmo ano, acabou contratada pela Rede Globo, estreando na novela Pai Herói (1979).

Dessa forma, ainda em 1979, Regina Dourado estreou no cinema no filme Amante Latino (1979), estrelado por Sidney Magal. Regina interpretava uma cigana, e basicamente aparecia engrossando as cenas de dança durante os musicais protagonizados pelo cantor.

Depois. a atriz foi para a TV Bandeirantes, onde atuou nas novelas Cavalo Amarelo (1980) e Rosa Baiana (1981). E voltou ao cinema, desta vez como cantora, fazendo parte da trilha sonora de O Encalhe – Sete dias de Agonia (1982), de Denoy de Oliveira.

Ademais, foi com Denoy de Oliveira que ela fez seu primeiro grande papel no cinema, interpretando O Baiano Fantasma (1984), que lhe valeu um prêmio no Festival de Cinema de Gramado. Assim, dois anos depois, sob direção de Pedro Jorge de Castro, estrelou o belo Tigipió – Uma Questão de Amor e Honra (1986).

Após começar no cinema brasileiro a atriz priorizou a carreira na televisão

Entretanto, de volta a Globo, a atriz atuou nas minisséries Lampião e Maria Bonita (1982) e O Pagador de Promessas (1988), e viveu a inesquecível Laura (Lala) Sereno em Pão Pão, Beijo Beijo (1983). Também, atuou na icônica novela Roque Santeiro (1985).

Em 1990 Regina Dourado foi para a Manchete, onde atuou em outra importante novela da história da televisão brasileira, o grande sucesso Pantanal (1990). Novamente trabalhando na Rede Globo, emendou diversas novelas, atuando em Felicidade (1991), Renascer (1993) e Tropicaliente (1994) e nas minisséries O Sorriso do Largarto (1991) e Tereza Batista (1992). Por seu trabalho em Renascer, ganhou o Troféu da APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) de melhor atriz coadjuvante.

Em 1995 ela fez um enorme sucesso com a Lucineide Salgado na novela Explode Coração (1995), de Glória Perez. Na época, Regina emplacou o bordão “Stop Salgadinho!”, que era destinado ao seu marido, vivido pelo ator Rogério Cardoso.

A atriz ainda fez O Rei do Gado (1996), onde interpretou uma índia, Anjo Mau (1997), Andando nas Nuvens (1999) e Esperança (2002). Em 2003 a atriz acabou diagnosticada com câncer na mama direita, e precisou se afastar para tratar a doença.

Já bastante doente, a atriz participou da encenação de A Paixão de Cristo (2011), na Bahia. No ano seguinte, em 20 outubro de 2012, ela acabou internada em um hospital em Salvador. Sete dias depois, em 27 de outubro de 2012, Regina Dourado faleceu, com apenas 59 anos de idade.

Atriz baiana Regina Maria Dourado (Foto: Reprodução)
Atriz baiana Regina Maria Dourado (Foto: Reprodução)
Bruna Alves

Autor(a):

Bruna Alves

Eu sou Bruna Alves, redatora de notícias da televisão e celebridades desde 2016, com passagens em alguns sites da área ao logo desse tempo. No FATOS DA TV, trago notícias com credibilidade e responsabilidade aos leitores, relembrando acontecimentos passados da TV e dos famosos, mas também deixando os leitores atualizados com assuntos da atualidade.