Autor de “Bambolê” faleceu cedo demais após enfrentar luta contra a AIDS, deixando colegas em luto


Autor da novela "Bambolê" faleceu muito cedo por conta da AIDS (Foto: reprodução/Montagem/Fatos da TV)
Autor da novela "Bambolê" faleceu muito cedo por conta da AIDS (Foto: reprodução/Montagem/Fatos da TV)

Autor que criou títulos de sucesso na Globo e foi responsável pela novela “Bambolê”, morreu por complicações caudadas pelo vírus HIV

O autor Daniel Más faleceu no dia 4 de fevereiro de 1989, aos 45 anos, vítima de uma infecção generalizada, complicação causada pela Aids.

O artista, nasceu em Valência, na Espanha, em 9 de maio de 1943. Foi colunista social de veículos como “O Globo”, “Última Hora”, “Vogue” e “Status”.

Contudo, nos anos 1960, colaborou em “Um Rosto de Mulher”, da Globo, e “Os Irmãos Corsos”, da Tupi. Porem, foi na década de 1980, quando ingressou definitivamente na Globo, que assinou trabalhos lembrados até hoje pelo público.

Assim, alguns deles foram as minisséries “Avenida Paulista” (1982) e “Moinhos de Vento” (1983). E as novelas “Um Sonho a Mais” (1985) e “Bambolê” (1987). Ele também foi colaborador em tramas como “Guerra dos Sexos” (1983), “Transas e Caretas” (1984) e “Armação Ilimitada” (1985).

Daniel Más (Foto: Reprodução/ Instagram)
Daniel Más (Foto: Reprodução/ Globo)

O autor era portador do vírus HIV

Assim, o autor Daniel Más ficou sabendo que era portador do vírus da Aids em janeiro de 1988. Contudo, em novembro do mesmo ano, seu companheiro, Régis Albino Pinheiro, morreu, aos 29 anos, também vítima da doença.

Então, no mesmo mês foi internado, mas recebeu alta, e, novamente, acabou voltando ao hospital por onde ficou até a morte por infecção generalizada.

Dessa forma, Daniel era reconhecido pelo humor e ironia em seus textos, sendo critico da sociedade brasileira. Em síntese, o autor foi enterrado na tarde de 5 de fevereiro de 1989, no cemitério Jardim da Saudade, em Jacarepaguá, na zona oeste do Rio de Janeiro. Amigos do autor fizeram deixaram homenagens em publicação.

“Trabalhamos juntos. Ele era muito criativo e sempre teve alto astral. Foi um jornalista brilhante, que introduziu, com charme e inteligência, um novo tipo de crônica social“, discursou Lauro César Muniz na Folha de S.Paulo de 6 de fevereiro de 1989.

“Gostava muito dele, um ótimo colega e uma pessoa extremamente talentosa, que morreu jovem”, descreveu Glória Perez na mesma publicação em homenagem ao autor do folhetim “Bambolê”.

Daniel Más (Foto: Reprodução/ Globo)
Daniel Más (Foto: Reprodução/ Globo)
Bruna Alves

Autor(a):

Bruna Alves

Eu sou Bruna Alves, redatora de notícias da televisão e celebridades desde 2016, com passagens em alguns sites da área ao logo desse tempo. No FATOS DA TV, trago notícias com credibilidade e responsabilidade aos leitores, relembrando acontecimentos passados da TV e dos famosos, mas também deixando os leitores atualizados com assuntos da atualidade.