Autor da Globo, não pode “nem ver” a cara de atriz que sumiu das novelas: “Encheu o saco”


Autor de Novela da Globo fez declaração chocante sobre estrela que sumiu das novelas (Foto Reprodução/Montagem/Fatos da Tv)
Autor de Novela da Globo fez declaração sobre atriz que sumiu das novelas (Foto Reprodução/Montagem/Fatos da Tv)

Participação da atriz desagradou o diretor da novela a ponto dele querer chamar outra pessoa

Dez anos após o êxito de “Escrava Isaura”, Lucélia Santos e Rubens de Falco foram  escalados para outra novela voltada para o mesmo debate, o da escravidão. O motivo era a Globo reeditar o sucesso internacional, do folhetim de Gilberto Braga, através de “Sinhá Moça”, novela de 1986 de Benedito Ruy Barbosa. A novela conquistou o público, mas os problemas dos bastidores eram corriqueiros.

+Estrela dos Trapalhões atacou Renato Aragão, fez grave acusação e morreu magoado

Lucélia Santos, foi escalada para o papel principal por conta do êxito como escrava Isaura. A aposta da Globo em reeditar a mocinha e o bandido de “Escrava Isaura”, desagradou  o autor de “Sinhá Moça”

Lucélia Santos como "Sinhá Moça" (Foto Reprodução/Memória Globo)
Lucélia Santos como “Sinhá Moça” (Foto Reprodução/Memória Globo)

Em depoimento ao livro “A Seguir Cenas do Próximo Capítulo”, de André Bernardo Cíntia Lopes, o autor Benedito Ruy Barbosa revelou que ele gostaria de ter escolhido outro nome:

Benedito Ruy Barbosa revelou não ter gostado de terem escalado estrela para a novela "Sinhá Moça" (Foto Reprodução/Internet)
Benedito Ruy Barbosa revelou não ter gostado de terem escalado Lucélia para a novela “Sinhá Moça” (Foto Reprodução/Internet)

“Se pudesse teria escolhido a Giulia Gam para protagonista. Infelizmente a Globo não deixou. A Lucélia encheu o saco durante a novela. A certa altura chegou a dizer que não serviria de escada para outros atores” – Revelou ele

Já o cantor Fábio Junior, declinou o convite para viver Rodolfo devido aos seus compromissos musicais. Marcos Paulo que vinha da direção de “Roque Santeiro” foi convocado para produção. A química entre Lucélia e Marcos Paulo acabou dando certo, e os conflitos envolvendo Rubens também.

Lucélia Santos e Marcos Paulo em "Sinhá Moça" (Foto Reprodução/Internet)
Lucélia Santos e Marcos Paulo em “Sinhá Moça” (Foto Reprodução/Internet)

“Sinhá Moça” foi negociada em 50 países, até antes de estrear oficialmente no Brasil, em abril de 1986. Na Nicarágua a novela conseguiu parar a “Revolução Sandinista” tendo um público estimado de 100 mil telespectadores por capítulo.

Em 2006, a novela ganhou um remake, feito pelas filhas de Benedito Ruy Barbosa, Edmara Barbosa e Edilene Barbosa. Carolina Dieckmann foi cogitada na época para assumir o papel principal, mas acabou sendo entregue à Débora Falabella.

Débora Falabella interpretou "Sinhá Moça" no remake, mesmo papel de Lucélia Santos (Foto Reprodução/Montagem/Internet)
Débora Falabella interpretou “Sinhá Moça” no remake, mesmo papel de Lucélia Santos (Foto Reprodução/Montagem/Internet)

Osmar Prado e Danton Mello responderam pelo “Barão de Araruna” e por “Rodolfo”. Milton Gonçalves fez o mesmo papel nas duas versões, como “Pai José”, o escravo do Barão que falece vítima do açoite no primeiro capítulo.

Uma curiosidade, é que Patrícia Pilar que fez a primeira “Ana do Véu” de 1986, voltou à cena como mãe de Sinhá Moça .

Lucélia Santos está longe das novelas brasileiras desde 2006, nos último anos ela se dividiu entre Brasil e Portugal.

Lucélia Santos se divide entre Brasil e Portugal, e nunca mais apareceu em novelas da Tv (Foto Reprodução/Internet)
Lucélia Santos se divide entre Brasil e Portugal, e nunca mais apareceu em novelas da Tv (Foto Reprodução/Internet)
Lennita Lee

Autor(a):

Lennita Lee

Meu nome é Lennita Lee, tenho 32 anos, nasci e cresci em São Paulo. Viajei Brasil afora, e voltei para essa cidade, afim de recomeçar a minha vida. Sou formada em moda pela instituição "Anhembi Morumbi" e sempre gostei de escrever. Minha maior paixão sempre foi a dramaturgia Também sou viciada em grandes produções latino americanas e mundiais. A arte é o que me move ....