Autora de Travessia já foi chamada de maluca por causa de novela e decidiu sair da Globo


Elenco da novela Travessia na Globo. (Foto: reprodução)
Elenco da novela Travessia na Globo. (Foto: reprodução)

Em sua história, a Globo acumula alguns atritos com autores famosos em virtude da rejeição de algumas sinopses de novelas, que fizeram com que os escritores decidissem até mesmo deixar a emissora e ir para a concorrente.

O caso mais emblemático ocorreu com Benedito Ruy Barbosa, que teve a sinopse de Pantanal rejeitada pelo canal e conseguiu tirá-la do papel na TV Manchete, chegando a superar a audiência da própria Globo.

Outro caso marcante envolve Glória Perez. A autora, que está atualmente no ar em Travessia, tem como marca principal, a abordagem de temas complexos e pouco difundidos, que englobam cultura, ciência e tecnologia. Foi assim que, em 1985, ela teve a ideia de criar Barriga de Aluguel, que traz uma história sobre uma mocinha que cedia seu ventre para gerar o filho de outra mulher.

A premissa da trama poderia gerar conflitos interessantes e dar muito pano para a manga, mas na época, a Globo considerou a história do folhetim completamente “maluca” e a rejeitou de imediato.

Glória Perez escreveu a novela Bebê a Bordo. (Foto: reprodução)
Glória Perez escreveu a novela Bebê a Bordo. (Foto: reprodução)

Novela da autora só foi produzida anos depois pela Globo

A recepção negativa da história deixou Glória Perez tão magoada, que ela decidiu deixar a Globo para fazer sua primeira e única novela fora da emissora: Carmen (1987), na Manchete.

A autora e a Globo só voltariam a fazer as pazes em 1990, quando a emissora finalmente reviu a sua decisão sobre Barriga de Aluguel e decidiu produzir a trama, uma vez que o tema já era mais popular no Brasil.

Na trama, Clara, interpretada por Cláudia Abreu, era uma jovem pobre de periferia, que recebia uma proposta financeira do casal Ana (Cassia Kis) e Zeca (Victor Fasano), que não podia ter filhos, para que gerasse o bebê deles. A jovem, no entanto, acaba se apegando a criança durante a gestação, causando uma grande disputa emocional e judicial com a mulher que lhe fez a proposta.