Christiane Torloni sofreu baque após a morte do filho e Globo fez o que ninguém esperava


Atriz Christiane Torloni. (Foto: Reprodução)
Atriz Christiane Torloni. (Foto: Reprodução)

Uma das atrizes mais famosas e respeitadas da sua geração, Christiane Torloni encarou há alguns anos a maior dor que uma mãe pode sentir: perder o seu filho. Em 1991, enquanto manobrava uma caminhonete na garagem da sua casa, a atriz acabou perdendo o controle do carro, que caiu de ré, de uma altura de 4,5 metros, provocando a morte do seu filho, Guilherme, de apenas 12 anos, que sofreu traumatismo craniano.

A estrela, que seguia em alta na Globo, com uma sequência de trabalhos, entrou em uma depressão profunda por conta do luto e chegou a se mudar para Portugal para tentar lidar melhor com a dor.

“O luto não passa nunca. Só vai diminuindo de potência, mas está sempre lá. É um convívio diário. Não existe ex-mãe ou ex-filho. Você conviver com isso é o grande desafio da vida. E principalmente não achar que isso foi um castigo”, declarou a atriz em entrevista na TV portuguesa, em 2013.

Christiane Torloni com os filhos gêmeos. (Foto: Reprodução)
Christiane Torloni com os filhos gêmeos. (Foto: Reprodução)

Globo prestou solidariedade à atriz

Em um recente desabafo sobre esse período tortuoso que enfrentou, Christiane Torloni deu o que falar ao revelar que a Globo fez o que poucas empresas fariam hoje em dia, prestando toda sua solidariedade e concedendo um bom período de descanso para a atriz, mesmo ela estando no auge do sucesso. Mais do que isso: a emissora carioca continuou bancando parte do seu salário.

Veja também: Fora da TV, Ex atriz da Globo “mandou indireta” sobre carreira artística : “Faça Medicina”

“Houve uma decomposição interna. Eu pensava que, se acontecesse alguma coisa, nunca mais eu iria poder entrar em cena. Você se desfaz emocionalmente”, explicou a famosa.

Christiane ficou quase um ano afastada da Globo, e só retornou em 1992, com a minissérie As Noivas de Copacabana. Sua novela seguinte, no entanto, ocorreu apenas dois anos depois, quando participou de A Viagem (1994).