Atrizes insistiram, mas continuação de novela de sucesso nunca saiu do papel na Globo


Filme baseado na novela Cheias de Charme da Globo ainda não foi produzido. (Foto: reprodução/Montagem)
Filme baseado na novela Cheias de Charme da Globo ainda não foi produzido. (Foto: reprodução/Montagem)

Globo tem projeto de filme baseado na novela Cheias de Charme

Nos últimos anos, a Globo vem apostando na continuação ou spin-off de algumas novelas de sucesso, algo que não é comum na história da emissora carioca. O maior exemplo disso foi Verdades Secretas, folhetim que contou com grande apelo do público para uma segunda temporada, que foi lançada primeiro no Globoplay, seis anos após o fim da versão original.

A emissora também apostou no formato de spin-off com Malhação Viva a Diferença (2017), novela que fez sucesso na internet com o seu quinteto de protagonistas, e que acabou rendendo uma série exclusiva do Globoplay, intitulada As Five, explorando ainda mais a vida das personagens principais da trama.

E outro folhetim que sempre contou com um grande apelo do público para uma continuação ou produção derivada é Cheias de Charme. Exibida em 2012 pela Globo, a novela, que acompanha a trajetória das Empreguetes, grupo musical formado por Taís Araújo, Leandra Leal e Isabelle Drummond, que entrava em conflito com a carismática vilã Chayene (Claudia Abreu), foi considerado um dos maiores sucessos recentes da faixa das 19h da emissora.

Isabelle Drummond, Leandra Leal e Taís Araújo são as Empreguetes em Cheias de Charme. (Foto: reprodução/Globo)
Isabelle Drummond, Leandra Leal e Taís Araújo são as Empreguetes em Cheias de Charme. (Foto: reprodução/Globo)

Projeto de filme nunca saiu do papel

O êxito da novela da Globo foi tamanho, que já no ano seguinte começaram a surgir informações a respeito de uma continuação da história, a princípio, através de um filme. A emissora chegou a promover uma reunião com o elenco para discutir o projeto, que acabou estacionando.

Novas informações sobre o longa foram surgir apenas em 2015, quando a Veja noticiou que a Ancine (Agência Nacional de Cinema) teria aprovado o orçamento do filme e sua captação, e que a produção teria início em breve, mas novamente, o projeto emperrou.

O trio de protagonistas já insistiu e revelou publicamente a sua vontade de participar de uma continuação do folhetim, mas uma das razões para que o filme ainda não tenha saído do papel é justamente a agenda apertada das atrizes, que ainda não deu brecha para a produção.