Diretor da Globo perdeu a paciência com fracasso das atrações da emissora: “Fod*-se a audiência”


Sergio Valente e Silvio de Abreu tinham ideias diferentes sobre novelas na Globo (Foto: Reprodução)
Sergio Valente e Silvio de Abreu tinham ideias diferentes sobre novelas na Globo (Foto: Reprodução)

Diretor da Globo chegou a perder o controle e entrou em conflito de ideias com chefão das novelas após emissora ter tido queda de audiência

A emissora Globo, em 2014, surpreendeu o público ao apostar em produtos ousados que utilizaram linguagens pouco vistas na teledramaturgia brasileira, como, por exemplo, a novela “Meu Pedacinho de Chão”. Contudo, Sérgio Valente, diretor de comunicação da Globo, comentou a ousadia da emissora e chegou a usar palavrões para defender as atrações que amargaram baixa audiência este ano, afirmando que a qualidade é mais importante do que os números.

“Precisamos ter várias profundidades que desafiem as pessoas a ‘dar mergulhos’, como fizemos neste ano com ‘O Caçador’, ‘Dupla Identidade’ e ‘Meu Pedacinho de Chão’, um produto às 18h, um primor de direção de arte, um puta de um sucesso. Aí o cara diz: ‘Ah, mas teve uma curva de audiência baixa’. Foda-se você com esse pensamento velho, cara! Você precisa olhar a relevância das coisas, e não só a audiência” afirmou Sérgio Valente.

Depois, em entrevista, Valente reafirmou sua linha de pensamento. “Olhar somente a audiência é olhar com miopia. Você precisa ver a relevância do produto. A audiência é uma das formas de você medir o sucesso. Olhar somente a audiência é uma bobagem”.

Dessa forma, o executivo também disse que a Globo é compromissada com uma programação de qualidade, e não com a busca desenfreada por índices. “A questão não é a audiência a qualquer preço. Não é nisso que nós acreditamos. Nós acreditamos em uma plataforma calcada em qualidade, criatividade e inovação. E você só consegue isso com talento”, finalizou o diretor.

Diretores entraram em conflito de ideias

Ademais, declaração de Sergio Valente por si só já causou enorme impacto, mas teria ainda mais peso por confrontar as ideias de Silvio de Abreu, que havia assumido há pouco tempo a direção de dramaturgia da Globo. Assim, como novo chefão desse setor, Silvio tinha uma visão completamente distinta do diretor de comunicação, acreditando que as novelas deveriam seguir a linha tradicional e popular.

“Eu acho que novela tem que voltar a ser novela. Essa história de fazer novela para ficar parecida com seriado, não dá certo. Novela é uma história folhetinesca com romance, com comédia, com drama, que a pessoa fique motivada a assistir todo dia e que tenha um gancho a cada comercial, e um gancho forte no final do capítulo”, declarou o diretor Silvio de Abreu em entrevista no mesmo ano.

“Nós vamos ter novelas de 100 capítulos e de 200, depende da história. O ruim é quando você não tem história para contar e fica enchendo linguiça, e quando eu supervisiono ou escrevo eu não faço isso. Isso é uma coisa que não quero que aconteça mais”, finalizou.

Entretanto, no fim das contas, Silvio de Abreu parece ter vencido essa “queda de braço”, uma vez que, de lá para cá, a Globo produziu bem mais novelas que apostavam em fórmulas populares, que receberam “pancadas” da crítica especializada. Porém, garantiram bons índices de audiência, o que, no fim das contas, é o que move a indústria da televisão.

Sergio Valente e Silvio de Abreu tinham ideias diferentes sobre novelas na Globo (Foto: Reprodução)
Sergio Valente e Silvio de Abreu tinham ideias diferentes sobre novelas na Globo (Foto: Reprodução)
Bruna Alves

Autor(a):

Bruna Alves

Eu sou Bruna Alves, redatora de notícias da televisão e celebridades desde 2016, com passagens em alguns sites da área ao logo desse tempo. No FATOS DA TV, trago notícias com credibilidade e responsabilidade aos leitores, relembrando acontecimentos passados da TV e dos famosos, mas também deixando os leitores atualizados com assuntos da atualidade.