Escanteada, atriz de O Rei do Gado pediu para deixar novela da Globo: “Meio jogada”


Silvia Pfeifer foi estrela de O Rei do Gado. (Foto: reprodução)
Silvia Pfeifer foi estrela de O Rei do Gado. (Foto: reprodução)

Nos anos 1990, Silvia Pfeifer se tornou uma das atrizes mais requisitadas para trabalhos na Globo, ganhando destaque especialmente em O Rei do Gado, novela que está atualmente em reprise. Na trama de Benedito Ruy Barbosa, ela dá vida à perua Léia, esposa do protagonista vivido por Antonio Fagundes.

Mas antes de ganhar destaque em O Rei do Gado, a atriz virou uma das apostas da emissora carioca para o elenco da primeira temporada de Malhação, em 1995, como Paula, proprietária de uma academia que era um dos pontos centrais da trama.

Com o tempo, no entanto, Silvia passou a se sentir desprestigiada, depois que a sua personagem começou a perder espaço na história, e pediu para deixar a novela. “Entrei para o programa porque recebi o convite do Roberto Talma. Gosto muito de trabalhar com ele, é um tremendo diretor. Nem precisaria ter aceito porque havia acabado de gravar Tropicaliente dois meses antes. Mas topei porque achei a proposta diferente e porque os diretores seriam o Talma e o Flávio Colatrello. Aí, em pouco tempo, os dois se afastaram da Globo”, declarou a atriz, contando que também se sentiu frustrada com a saída dos colegas da direção.

Atriz Silvia Pfeifer. (Foto: reprodução)
Atriz Silvia Pfeifer. (Foto: reprodução)

Atriz ficou escanteada em novela da Globo

Como o foco de Malhação sempre foi o núcleo de personagens jovens, Silvia Pfeifer acreditava que estava ficando cada vez mais escanteada na história. “Ela dá estrutura ao programa, mas ele é dos adolescentes. Então, naturalmente, fiquei meio jogada. Passei meses falando nada”, contou.

Apesar do desabafo por ter tido pouco espaço, a atriz acredita que Malhação contribuiu muito para que ela fosse vista de uma forma diferente como artista. “Quando fiz Meu Bem, Meu Mal, as críticas diziam que eu não era boa. Em Perigosas Peruas, fiz cenas mais engraçadas e as pessoas calaram um pouco a boca. Em Tropicaliente, fiz uma mulher sofrida, rica, que andava chiquérrima o dia inteiro. Já em Malhação, passei a ser vista como uma mulher mais esportiva, atual, real e alegre”, afirmou.