Estrela de Chocolate com Pimenta foi enquadrada pelo governo e quase deixou a novela


Reginaldo Grassi (à dir.) em Chocolate com Pimenta. (Foto: reprodução)
Reginaldo Grassi (à dir.) em Chocolate com Pimenta. (Foto: reprodução)

Antônio Grassi quase precisou deixar o elenco de Chocolate com Pimenta por um problema com o governo

Antônio Grassi marcou sua carreira ao interpretar Reginaldo em Chocolate com Pimenta, novela que fez enorme sucesso em 2003 e que atualmente está sendo reprisada pela Globo.

Reginaldo é um personagem duro e cruel com suas filhas Graça (Nívea Stelmann) e Celina (Samara Felippo), chegando a proibir a relação da última com Guilherme (Rodrigo Faro). O viciado em jogos até mesmo aposta a mão de Celina, forçando-a a se casar com o conde Klaus (Claudio Corrêa e Castro).

Apesar de ser um personagem tão importante para a trama, Antônio Grassi não foi a primeira escolha para o papel. Originalmente, a ideia da Globo era que Luís Mello interpretasse Reginaldo em Chocolate com Pimenta, repetindo a parceria com o autor Walcyr Carrasco depois de O Cravo e a Rosa (2000) e A Padroeira (2001). No entanto, o ator sofreu uma lesão no joelho e não pôde assumir o papel.

Ator Antônio Grassi. (Foto: reprodução/Globo)
Ator Antônio Grassi. (Foto: reprodução/Globo)

Ator quase teve de deixar a novela

Assim, Antônio Grassi foi escalado às pressas para o papel, mas isso acabou gerando um problema para o ator. Na época, ele exercia um cargo público como presidente da Funarte (Fundação Nacional de Artes), o que já havia o feito recusar um papel em Agora é Que São Elas (2003).

Isso criou um conflito ético para o ator, e o governo federal chegou a considerar incompatível a participação de Grassi em Chocolate com Pimenta. No entanto, depois de muita discussão, o ator conseguiu chegar a um acordo com a Comissão de Ética da Presidência da República, permitindo que ele mantivesse suas duas funções, contanto que o horário das gravações não interferisse em seu trabalho na Funarte. Antônio Grassi ocupou o cargo de presidente da Funarte de 2003 a 2006 e de 2011 a 2013.