Estrela de Os Trapalhões enfrentou depressão e se entregou ao vício: “Muita gente se afastou de mim”


Elenco de Os Trapalhões. (Foto: Reprodução)
Elenco de Os Trapalhões. (Foto: Reprodução)

A fama e o sucesso nem sempre são sinônimos de uma vida feliz para muitos artistas, e um exemplo disso ocorreu na trajetória de Wanderley Cardoso. Astro da música nos anos 1960, ele chegou a integrar o elenco de Os Trapalhões quando a atração ainda estava no seu início, na extinta TV Excelsior.

O astro era um dos galãs da Jovem Guarda, ao lado de estrelas como Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Ronnie Von. E foi justamente o momento de alta que fez o galã ser chamado para fazer parte de Os Adoráveis Trapalhões, programa que depois migraria para a Globo com o título de Os Trapalhões.

No decorrer da carreira, no entanto, Wanderley chegou a enfrentar uma forte depressão e se entregou ao vício no álcool, o que o fez se afastar dos palcos por um tempo. Atualmente, no entanto, aos 77 anos, ele afirma já ter se recuperado. “Eu era alcoólatra. Acho que não atrapalhou pouco, não [a carreira] atrapalhou foi muito. Muita gente se afastou de mim. Nunca mais bebi, nunca fumei, nunca usei drogas. Graças a Deus estou limpinho”, explicou o cantor em entrevista ao programa Sensacional, da RedeTV!.

Cantor Wanderley Cardoso. (Foto: Reprodução)
Cantor Wanderley Cardoso. (Foto: Reprodução)

Espírito de integrante de Os Trapalhões era visto em estúdios

Por falar em Os Trapalhões, quando o programa migrou para a Globo, passando a ser formado pelo quarto clássico, formado por Didi (Renato Aragão), Dedé (Dedé Santana), Mussum e Zacarias, se tornou um grande sucesso, mas o tempo, foi se desfazendo, em virtude da morte desses dois últimos.

O primeiro membro do grupo que acabou falecendo foi Mauro Faccio Gonçalves, o Zacarias, em 1990. Quatro anos depois, Os Trapalhões perdeu Antônio Carlos Bernardes Gomes, o Mussum. E nessa última quinta-feira (10), ocorreu a morte de mais um comediante, Roberto Guilherme, que não fazia parte do quarteto principal, mas que era presença marcante na série, especialmente na pele do Sargento Pincel.

Em 1990, Roberto Guilherme concedeu uma entrevista ao jornal O Dia e falou sobre como o grupo vinha lidando com a morte de Zacarias. O ator deixou muita gente surpresa ao contar que o colega ainda era muito presente nas gravações, e que algumas pessoas já teriam visto o seu espírito nos estúdios onde a série era gravada.