Estrela da Escolinha do Professor Raimundo revelou que odiava trabalhar no programa


Escolinha do professor Raimundo (Foto: Reprodução, Globo)
Escolinha do professor Raimundo (Foto: Reprodução, Globo)

Os bastidores da Escolinha do Professor Raimundo não eram os melhores e estrela que participou do programa revelou os motivos

Um dos maiores programas de humor da Globo, a Escolinha do Professor Raimundo marcou gerações. Uma sala de aula, alunos muitos diferentes e um professor com bastante paciência, essas foram as peças que transformaram o programa em um grande sucesso. Contudo, nem todos os artistas que participaram do projeto guardam boas memorias.

Em entrevista à colunista Patrícia Kogut, do jornal O Globo, Fafy Siqueira relembrou o trabalho na Escolinha do Professor Raimundo. Mesmo elogiando a convivência com Chico Anysio, a atriz revela detalhes sobre o dia a dia com os outros integrantes do elenco.

Atriz Fafy Siqueira (Foto: Reprodução)

“Eu odiava os bastidores da Escolinha. Os homens só sabiam falar de futebol e se achavam os maiorais. E, na minha opinião, a melhor naquela turma era Claudia Jimenez, com a Dona Cacilda. Eu entrei mais para o fim também e senti que eles já não estavam no mesmo gás”, contou.

A nova Versão

“Aliás, sei que vão me odiar por dizer isso, mas eu achei essa nova versão da ‘Escolinha’ muito melhor. Foi o que aconteceu com ‘Zorra Total’ no fim. Estava muito chato”, completou a artista por fim.

Fafy Siqueira é uma humorista brasileira nascida Fátima Figueiredo, em São Gonçalo, no Rio de Janeiro, e conhecida por suas participçações em programas de humor como “Escolinha do Professor Raimundo”, “Zorra Total” e “A Praça é Nossa” e pelas imitações de Roberto Carlos e Ronald Golias. Entre seus personagens mais conhecidos estão a cantora Gardênia Alves e a portuguesa Jupira.

Atriz Fafy Siqueira (Foto: Reprodução)

Além de humorista, é cantora, atriz, diretora e compositora. O ingresso na carreira artística começou em 1970 ainda como cantora. Em 1984, estreou como atriz na montagem teatral “Amor”. No teatro também esteve em espetáculos próprios como “Dó Ré Mi Fafy”.