Ex-astro da Globo tomou decisão que ninguém esperava sobre sua herança: “Essa é a missão”


Ney Latorraca fez história na Globo. (Foto: reprodução)
Ney Latorraca fez história na Globo. (Foto: reprodução)

Ney Latorraca se tornou um dos maiores atores da Globo

Ney Latorraca é um dos atores mais respeitados e prestigiados da TV e do teatro brasileiro, mas hoje, aos 78 anos, ele tomou a difícil decisão de se aposentar da telinha para finalmente curtir a vida depois de décadas de carreira.

O ator estreou na TV em 1968, em Beto Rockfeller, novela da TV Tupi que revolucionou o gênero no Brasil, mas ganhou destaque para valer a partir de 1975, quando deu vida ao personagem Felipe em Escalada, na Globo. Depois disso, ele esteve em produções como Estúpido Cupido (1976), Anarquistas, Graças a Deus (1984), Rabo de Saia (1984), Um Sonho a Mais (1985), Vamp (1991), Zazá (1997), O Cravo e a Rosa (2000) e Da Cor do Pecado (2004), além da TV Pirata (1988), interpretando o icônico Barbosa.

“Não quero mostrar minha decrepitude. Quero ficar em casa, descansar, viajar”, declarou o veterano depois de ter feito participações especiais em Meu Pedacinho de Chão (2014) e Novo Mundo (2017). Recentemente, ele até fez pequenas aparições em séries como Tá no Ar (2018) e Cine Holliúdy (2019), mas nada de papéis fixos.

Ator Ney Latorraca. (Foto: Reprodução)
Ator Ney Latorraca. (Foto: Reprodução)

Destino da herança do ator

Em recente entrevista ao programa Persona in Foco, da TV Cultura, Ney Latorraca surpreendeu ao contar que seu patrimônio não foi construído graças à TV, e sim ao teatro, principalmente devido ao sucesso da peça O Mistério de Irma Vap, que ficou em cartaz por 11 anos.

Na mesma entrevista, o ator, que não tem filhos, mas é casado há mais de 20 anos com o ator Edi Botelho, revelou que seu testamento já está pronto, mas os seus bens terão um destino surpreendente: tudo será deixado para instituições como o Retiro dos Artistas e a ABBR (Associação Brasileira Beneficente de Reabilitação).

“É um desejo da minha mãe também. Acho que é assim que tem que ser. O que eu ganhei com o teatro tem que voltar para essas causas. Essa é a missão do artista, pelo menos para mim”, afirmou o ator.