Famosa apresentadora quase morreu em incêndio na Globo: “Ela teria morrido”


Eliana, Xuxa e Angélica (Foto: Reprodução/ Internet)
Eliana, Xuxa e Angélica (Foto: Reprodução/ Internet)

Grande incêndio aconteceu há 22 anos atras nos estúdios Globo, deixando 26 pessoas feridas

Xuxa é, sem dúvida, um dos maiores nomes da história da televisão brasileira, e seu rosto, para muitas pessoas, remete diretamente à programas de auditório infantis. Foi inclusive neste capítulo de sua carreira que o Brasil se viu diante de uma tragédia eternizada na memória dos brasileiros.

No dia 11 de janeiro de 2001, estava sendo gravado uma nova edição do programa Xuxa Park, voltado para o público infantil. Exibido nas manhãs de sábado, misturava brincadeiras e apresentações musicais.

Aquele quase foi um dia comum de gravações. Foi apenas nos minutos finais do programa que ocorreu o acidente trágico que transformaria os sorrisos das crianças ao redor de Xuxa em gritos.

incêndio no programa da Xuxa (Foto: Reprodução, Globo)

Isso porque um curto-circuito terminou por gerar um incêndio em meio ao cenário que, como logo foi percebido pelos presentes, era todo feito de materiais altamente inflamáveis. “Nunca vi o fogo pegar tão rápido”, comentou Paulo Netto, diretor do Xuxa Park, em entrevista à revista IstoÉ em 2001. “Mais cinco minutos e ela teria morrido”, completou, referindo-se à Rainha dos Baixinhos.

As vitimas

Antes de tudo, no fim de todo programa, Xuxa se despedia entrando na réplica de uma aeronave nos fundos do cenário. Naquela que se tornou a última edição, ela cantava uma de suas músicas mais famosas, “Ilariê”, quando se deparou com o incêndio. As Paquitas, suas dançarinas, que ficavam mais ao fundo, foram as primeiras a repararem que algo fora do normal estava acontecendo. Elas pararam de dançar, alarmadas, e começaram a se afastar.

incêndio no programa da Xuxa (Foto: Reprodução, Globo)

Havia 300 pessoas no local naquele dia, sendo 200 delas crianças, e o restante adultos responsáveis por elas e funcionários envolvidos na produção do programa. Um dos seguranças, Leonilson de Oliveira, acabou se destacando por seu heroísmo naquele dia. Como resultado, ao todo 26 pessoas se feriram, sendo muitas delas crianças. Em conclusão, a emissora Rede Globo financiou os cuidados médicos de todos.