Famoso da Globo, após morte dolorosa de três filhos, lida com doença incurável da filha: “Pesadelo”

05/07/2024 às 15h10

Por: Wellington Silva
Imagem PreCarregada
Artista da Globo já perdeu três dos cinco herdeiros (Foto: reprodução/Globo)

Aos 90 anos, astro da Globo já perdeu três dos cinco herdeiros

Recentemente, o público teve a oportunidade de assistir Julia Almeida na televisão. A atriz desempenhou o papel de Vidinha em Mulheres Apaixonadas (2003). A artista é filha do escritor e participou de diversas telenovelas de Manoel Carlos.

Além de Julia, o autor teve outros quatro descendentes. No entanto, infelizmente, Maneco já perdeu três dos cinco herdeiros. É uma dor profunda que o novelista enfrenta até os 90 anos de idade.

Um dos filhos que Maneco perdeu era Ricardo de Almeida, que colaborava com o pai em seus projetos e era considerado uma espécie de braço direito.

Oferecendo orientações e integrando a equipe de roteiristas de algumas produções bem-sucedidas de Maneco.

O escritor acabou sendo uma das vítimas da AIDS, que se disseminou globalmente nos anos 1980 e, com poucas informações e estudos na época, os pacientes não tinham perspectivas de ter uma vida longa e saudável.

Veja também

Como é possível hoje em dia graças aos avanços na medicina e aos medicamentos antirretrovirais, distribuídos gratuitamente pelo SUS. Com apenas 33 anos, Ricardo faleceu em 1988, devido a complicações relacionadas à AIDS.

“Meu filho Ricardo foi meu colaborador não apenas em O Cometa, mas também na minissérie Viver a Vida (1984), da Manchete. Quanto à perda do meu filho, é uma dor insuperável. Com o tempo, você para de chorar, mas o sofrimento nunca desaparece”, disse.

“O Rick e eu tínhamos muitas afinidades, independentemente de sermos pai e filho. Guardo tudo o que foi dele nos 33 anos em que viveu”, compartilhou no livro A Seguir, Cenas do Próximo Capítulo.

Ricardo de Almeida e Fernanda Montenegro
Ricardo de Almeida e Fernanda Montenegro (Foto: reprodução/Globo)

O filho do autor acabou encontrado sem vida

De uma maneira simples e criativa, Manoel mantém a lembrança de seu filho viva em suas novelas.

“À medida que envelhecemos, os anos passam voando, mas os dias parecem intermináveis”: essa frase foi descoberta por Ricardo e apresentada ao seu pai, afirmado que pertencia à escritora Virgínia Woolf.

“Adorei a frase e comecei a usá-la em todos os meus textos, mas nunca tive a confirmação de que era realmente da escritora britânica”, contou.

“Por isso, sempre que um personagem a menciona, ele diz ser ‘uma frase, se não me engano, de Virginia Woolf’. A repetição em todas as minhas histórias é uma homenagem que faço à memória do meu filho”, explicou.

Outra perda significativa foi a de Manoel Carlos Júnior, que era assessor de imprensa e tinha 59 anos quando faleceu após sofrer um infarto fulminante. Dois anos depois, em 2014, ele enfrentaria outra tristeza.

Pedro Almeida tinha apenas 22 anos e, diferente do pai, aspirava uma carreira nos palcos, atuando. Ele se mudou para os Estados Unidos para estudar teatro.

Ativo e sonhador, gostava de se exercitar no Central Park e tinha uma namorada, Sophia Dominique. Em 4 de outubro de 2014, Pedro foi encontrado sem vida em sua residência.

“Perdi três filhos, é isso que a vida me deu. As tragédias já foram um pouco demais comigo”, disse o escritor após o funeral de seu filho mais novo.

Manoel Carlos e Manoel Carlos Jr.
Manoel Carlos e Manoel Carlos Jr. (Foto: reprodução/Globo)

O autor desfruta de sua aposentadoria

“Os amigos foram muito solidários. Não podemos estar felizes, mas estamos contentes [com os amigos]. No São João Batista (cemitério na Zona Sul do Rio), tenho dois filhos lá, como vocês sabem. As tragédias já foram um pouco demais comigo. Ele [Pedro] não queria ser sepultado, queria ser cremado, e assim fizemos conforme sua vontade“, acrescentou.

“Ele era um ator de grande talento, sem dúvida alguma. Nos encheu de orgulho com tudo o que fez. Brilhou no exterior. Ele escolheu o teatro, era algo que ele valorizava. Era um verdadeiro ator de teatro”, afirmou.

Aos 90 anos, Manoel Carlos desfruta de sua aposentadoria em casa. Seu último trabalho foi a novela Em Família, transmitida pela Globo em 2014.

Atualmente, Júlia Almeida, outra filha do escritor da Globo, leva uma vida muito regrada para não sofrer com os efeitos da epilepsia.

A atriz, que já atuou em praticamente todas as novelas do pai, deu uma entrevista à Veja explicando todos os cuidados que toma desde que abandonou a TV.

Júlia Almeida e Manoel Carlos (Foto: reprodução/Globo)

Utilizamos cookies como explicado em nossa Política de Privacidade, ao continuar em nosso site você aceita tais condições.