Felipe Prior foi condenado a 6 anos de prisão por estupro cometido em 2014


Ex-BBB Felipe Prior (Foto: Reprodução, Globo)
Ex-BBB Felipe Prior (Foto: Reprodução, Globo)

O ex-BBB Felipe Prior recebeu sua condenação pelo crime de estupro cometido em 2014, antes mesmo da fama

O arquiteto, empresário e ex-BBB Felipe Prior foi condenado pela 7ª Vara Criminal de São Paulo no último sábado (8) por um estupro cometido por ele em 2014, e denunciado em 2020. A decisão, assinada pela juíza Eliana Cassales Tosi Bastos, é de que ele cumpra seis anos de prisão em regime semiaberto. Prior pode recorrer em liberdade, e o caso corre em segredo de justiça.

Segundo a decisão da Justiça de São Paulo, o empresário usou de força física para realizar violência. Ele movimentou a vítima de forma agressiva. Prior segurou Themis pelos braços e cintura e puxou os cabelos dela, que pediu para que ele parasse. Ela afirmou que “não queria manter relações sexuais”, mas ele continuou o ato.

Ex-BBB Felipe Prior (Foto: Reprodução, Globo)
Ex-BBB Felipe Prior (Foto: Reprodução, Globo)
Em 2020, foi publicado  uma reportagem que traz o relato de duas vítimas que disseram ter sido estupradas por Prior, incluindo o da autora da denúncia, identificada como Themis, então aluna da Universidade Presbiteriana Mackenzie. A informação foi confirmada pela advogada da vítima, Maira Pinheiro.

Detalhes do crime

Após o BBB, Tudo vinha bem, até que, três dias após a eliminação, antes mesmo de o rapaz conseguir aproveitar a sua “celebrização instantânea” a mídia divulga para o mundo inteira o suposto envolvimento do rapaz em crimes de natureza sexual. Segundo a matéria, um dos supostos crimes teria ocorrido em 2014.

Ex-BBB Felipe Prior (Foto: Reprodução, Globo)
Ex-BBB Felipe Prior (Foto: Reprodução, Globo)

Prior foi acusado estupro por duas jovens e de tentativa de estupro por outra. O caso veio a público quando o arquiteto ainda estava confinado na edição do BBB 20. O crime teria acontecido após festas dos jogos universitários InterFAU. Jogos que são realizados anualmente e reúnem alunos de várias faculdades de arquitetura de urbanismo do estado de São Paulo.

Uma das vítimas afirma, segundo a advogada, que estava com uma amiga, em uma festa de comemoração dos jogos universitários na cidade de São Paulo, quando pegou carona com Prior. Ela conta que, depois de deixarem a amiga em casa, ele teria encostado o carro em uma rua escura e teria ido para cima dela, que estava embriagada.