Galã de O Rei do Gado se recusou a gravar cena de novela e acabou demitido: “É uma injustiça”


Oscar Magrini integrou o elenco de O Rei do Gado. (Foto: reprodução)
Oscar Magrini integrou o elenco de O Rei do Gado. (Foto: reprodução)

Estrela de O Rei do Gado, Oscar Magrini foi demitido da Globo por se recusar a gravar cena de novela

Oscar Magrini é conhecido por seu papel como Ralf em O Rei do Gado, onde interpretou um pilantra que se envolve com a esposa do protagonista por interesse. Porém, muitos não sabem que o ator já causou uma grande confusão nos bastidores de outra novela.

Depois de O Rei do Gado, Magrini participou de Torre de Babel e logo após foi escalado para Vila Madalena. Nesta última, ele interpretou Aricanduva, um malandro que escondia sua verdadeira identidade e fugia de um relacionamento sério.

No entanto, em fevereiro de 2000, Oscar Magrini foi demitido pela Globo por justa causa. Segundo a imprensa da época, ele estava atrasando e até faltando às gravações da novela. Além disso, teria se recusado a gravar uma cena onde chamaria outro personagem de gay e acabaria apanhando dele. Magrini teria justificado que não queria xingar o ator negro com quem contracenaria, alegando que isso seria um mau exemplo.

Oscar Magrini em O Rei do Gado. (Foto: reprodução)
Oscar Magrini em O Rei do Gado. (Foto: reprodução)

Justificativa do ator

Matilde Mastrangi, esposa e empresária do ator, negou as acusações e afirmou que toda a confusão ocorreu por atrasos na entrega dos roteiros para ele. Segundo ela, Magrini não gravou a cena porque não havia recebido o roteiro a tempo e se constrangeu com o conteúdo. “É uma injustiça. Ele não gravou porque não recebeu roteiro. E também se constrangeu com a cena”, declarou.

Após a demissão, Walther Negrão teve que improvisar um final para o personagem de Magrini em Vila Madalena, informando que ele havia desistido de seu casamento com Lilica e fugido para ficar com outra mulher. O ator só voltou a trabalhar na Globo três anos depois, em Esperança, também de Benedito Ruy Barbosa.