Abalada, Globo encomendou pesquisa para o público decidir o que fazer com novela após morte do protagonista


Jardel Filho morreu antes do fim de novela da Globo. (Foto: reprodução/Montagem)
Jardel Filho morreu antes do fim de novela da Globo. (Foto: reprodução/Montagem)

Ator Jardel Filho morreu antes do fim da novela Sol de Verão e deixou a Globo abalada

É comum que as novelas da Globo sejam gravadas enquanto ainda estão sendo transmitidas, o que permite mudanças na trama com base na reação do público. No entanto, pode haver contratempos, como a morte repentina de um ator, como aconteceu durante a exibição de Sol de Verão (1982), escrita por Manoel Carlos e estrelada por Irene Ravache e Jardel Filho.

Jardel era um renomado ator, com mais de 30 anos de carreira na TV e 17 anos no cinema, tendo participado de filmes clássicos como Terra em Transe e Pixote, além de ter feito parte do elenco de 22-200 Cidade Aberta (1965), a primeira série de TV brasileira.

Infelizmente, em 19 de fevereiro de 1983, Jardel Filho sofreu um ataque cardíaco e faleceu em sua casa, aos 55 anos. A morte do ator abalou a produção de Sol de Verão, que ainda tinha cerca de 20 capítulos para terminar.

Jardel Filho foi protagonista de Sol de Verão. (Foto: Reprodução/Globo)
Jardel Filho foi protagonista de Sol de Verão. (Foto: Reprodução/Globo)

Emissora encomendou pesquisa para decidir o que fazer

Com a equipe e os atores de luto, houve discussões sobre a interrupção imediata da novela. O próprio Manoel Carlos, amigo íntimo de Jardel, afirmou que não se sentia emocionalmente capaz de escrever os últimos capítulos da trama e passou a responsabilidade para Lauro César Muniz e Gianfrancesco Guarnieri.

Para decidir o que fazer, a Globo realizou uma pesquisa com o público e 55% dos entrevistados afirmaram que a novela deveria continuar. Dessa forma, a produção decidiu adicionar mais alguns capítulos à história para que ela pudesse ter um final adequado.

No entanto, a morte de Jardel deixou um vazio na trama. No último capítulo em que ele apareceu, o 120, e no início do seguinte, a Globo prestou uma homenagem emocionante ao ator, com depoimentos comoventes de seus seus colegas de profissão e a exibição de um texto escrito pelo amigo Manoel Carlos.