Marcou na TV

Globo fez proposta indecente para ator de Pantanal e famoso detonou o canal: “Fiquei indignado”


Antonio Petrin foi o vilão Tenório na primeira versão de Pantanal (Foto: Reprodução)

Antonio Petrin, que interpretou Tenório na primeira versão de Pantanal, abriu o jogo sobre proposta da Globo

O ator Antonio Petrin, que interpretou Tenório na primeira versão de Pantanal, exibida pela extinta TV Manchete, se indignou com a Globo. Por meio de uma publicação, ele comentou que foi convidado pelo canal, mas foi surpreendido com uma proposta que o decepcionou.

Segundo o artista, ele foi chamado para gravar uma das últimas cenas da trama como figurante. Além disso, a Globo não teria oferecido nenhuma remuneração.

“Fui contado pela produtora de elenco da novela ‘Pantanal’, da qual participei na versão anterior, para participar de uma cena no final da novela, como figurante de um casamento ou sei lá o que. Agora pasmem: Sem pagamento de cachê. É claro que recusei. Fiquei indignado com tal proposta”, contou.

Ator exigiu remuneração por participação em trama

Antonio Petrin alegou que exige um cachê por seu trabalho, pois a profissão precisa ser valorizada. Ademais, fez um alerta para o elenco da novela de 1990, afirmando para não aceitarem gravarem de forma não remunerada para a Globo.

“Sou ator e como tal, devo receber um cachê por esse trabalho. Na verdade, eles querem enfeitar a figuração com atores, que como eu foram destaques na versão anterior. Esse convite é um desrespeito a minha carreira de mais de 50 anos. Espero que outros colegas da mesma versão recusem esse malfadado convite”, pediu o ator.

Antonio Petrin foi o vilão Tenório na primeira versão de Pantanal (Foto: Reprodução/Facebook)
Antonio Petrin esteve na primeira versão de Pantanal (Foto: Reprodução/Facebook)

 

Trajetória do ator

Vale destacar que Antonio Petrin possui uma longa carreira em teatro, cinema e televisão. Na TV Manchete, além de Pantanal, participou em A História de Ana Raio e Zé Trovão (1990), Guerra Sem Fim (1993) e Tocaia Grande (1995).

O artista também atuou nas duas versões de O Direito de Nascer, a da Tupi (1978) e a do SBT (2001). Na emissora de Silvio Santos, acumulou papéis importantes como o Sr. Assad de Éramos Seis (1994) e o Sabiá de Esmeralda (2004).

Na Globo, se destacou em Corpo Dourado (1998) e Um Anjo Caiu do Céu (2001). Seu último trabalho na TV foi em Escrava Mãe (2016), da Record, emissora que também atuou em Marcas da Paixão (2000). Petrin está afastado das telas desde o filme De Volta ao Maracanã (2020).

Autor(a):

Escrevo sobre notícias da TV e das celebridades há muitos anos com passagens, inclusive, por outros portais como TV Foco. Meu objetivo é informar com precisão e clareza.