Globo foi proibida de exibir novela por cena polêmica com criança


Globo foi proibida de exibir novela por cena polêmica com criança (Foto: Reprodução, Globo)
Globo foi proibida de exibir novela por cena polêmica com criança (Foto: Reprodução, Globo)

A grande emissora Globo teve sua novela mudada por conter cenas bastante problemáticas onde crianças faziam ações polemicas

A Globo cortou duas cenas da novela “A Próxima Vítima” por não conseguir autorização judicial para exibi-las. As imagens mostrariam meninos de rua cheirando cola.

O ator Patrick de Oliveira, 13, participava das cenas. Conforme o Estatuto da Criança e do Adolescente, quando uma emissora de televisão deseja utilizar menores de 18 anos em trechos de novelas, precisa consultar a Justiça.

Novela da Globo A Próxima Vítima (Foto: reprodução)
Novela da Globo A Próxima Vítima (Foto: reprodução)

A Globo enviou os scripts das duas cenas à 1ª Vara da Infância e da Juventude no Rio. A promotora Maria Lúcia Ceglia os analisou e deu parecer contrário à exibição. “Não tenho nenhum problema com as cenas em si”, explica. “Só não concordo que sejam feitas por profissionais menores de 18 anos. Se a Globo usasse apenas atores mais velhos, tudo bem.”

Para a promotora, houve risco de a exibição das cenas trazer prejuízos à imagem de Patrick, o que poderia comprometer o “equilíbrio psicológico” do garoto.

O parecer de Maria Lúcia serve apenas como parâmetro para a Justiça decidir se permite ou não que a emissora exiba as imagens. A palavra final foi do juiz de menores -no caso, uma juíza, Myriam Medeiros da Fonseca Costa. A Globo gravou as cenas e as enxertou ao longo do capítulo 20 de “A Próxima Vítima”. Ocorre que a juíza ainda não tinha se pronunciado sobre o parecer da promotora. A emissora resolveu, então, cortar as cenas.

Novela da Globo A Próxima Vítima (Foto: reprodução)
Novela da Globo A Próxima Vítima (Foto: reprodução)

A palavra do autor

O autor da novela, Sílvio de Abreu, tomou conhecimento dos cortes. “Lamento profundamente tudo isso. Minha intenção é denunciar o abandono das crianças brasileiras.” Nas cenas, Júlia Braga (Glória Menezes) flagra o menino de rua Arizinho (Patrick) cheirando cola em companhia de outros três garotos, interpretados por atores com mais de 18 anos. Preocupada, tenta dissuadi-los do gesto.

A personagem de Glória Menezes se baseia na carioca Yvonne Bezerra de Mello, que há 11 anos cuida de crianças abandonadas.