Grande atriz da Globo perdeu a luta contra o câncer: “é dolorosa, é difícil”


Grande atriz da Globo perdeu a luta com o câncer: “Ela foi” (Foto: Reprodução)

Com papeis e novelas invejáveis em seu currículo, essa foi mais uma atriz que infelizmente perdeu a luta para o terrível câncer

Há 19 anos, após uma consulta de rotina, essa atriz foi diagnosticada com câncer de mama. Em 2003, ela foi operada para a retirada de um tumor na mama direita e, sete anos depois, foi submetida a mais uma cirurgia porque a doença atingiu a mama esquerda.

Regina Dourado nasceu em Irecê (374 km de Salvador), em 22 de agosto de 1953, Regina Dourado começou cedo na carreira de atriz. Aos 15 anos, ela já estava atuava na Companhia Baiana de Comédia e praticava aulas de canto e dança. Dez anos mais tarde, a artista conseguiu seu primeiro papel na televisão, na série “A Morte e a Morte de Quincas Berro D’Água”, dirigida por Walter Avancini e exibida na Globo.

Atriz Regina Dourado (Foto: Reprodução)
Atriz Regina Dourado (Foto: Reprodução)

Regina Dourado teve seu maior destaque na novela “Explode Coração” (1995), de Glória Perez. Na trama da Globo, ela interpretava Lucineide, que ficou famosa por criar o bordão “stop, Salgadinho”, usado quando falava com o marido, interpretado por Rogério Cardoso.

Atriz Regina Dourado (Foto: Reprodução)
Atriz Regina Dourado (Foto: Reprodução)

A doença

No final de 2003, após uma consulta regular, Regina Dourado anunciou publicamente que tinha um câncer de mama. Em entrevista à TV Bahia (Globo), a atriz disse que, no início, ficou perdida. “O momento da notícia é terrível, fica uma perplexidade. Eu achei que eu nem cheguei a ter consciência da gravidade naquele momento. Eu fiquei muito mais perplexa do que qualquer coisa, meio perdidona”, afirmou.

Atriz Regina Dourado (Foto: Reprodução)
Atriz Regina Dourado com câncer (Foto: Reprodução)

Ainda na entrevista, a atriz disse que não se considerava vítima por ter contraído a doença. “A recuperação é dolorosa, é difícil, não é mole não. Porém, passa. Não me sinto absolutamente vítima por ter tido câncer. Não me sinto infeliz no sentido de que sou uma coitada e que de uma certa forma as pessoas têm que dividir comigo essa infelicidade. Eu não me sinto desta maneira, mas também não digo que é fácil”. Disse por fim.

Regina Dourado tinha apenas 59 anos. Seu corpo foi cremado e enterrado no Cemitério Jardim da Saudade, na capital baiana.