Humorista do “Casseta e Planeta” carregou culpa após morte precoce de colega: “Ideia infeliz”


Ator de "Casseta e Planeta" se sentia culpado (Foto: Reprodução/ Globo)
Ator de "Casseta e Planeta" se sentia culpado (Foto: Reprodução/ Globo)

Humorista do “Casseta e Planeta” se culpou durante longos anos após perder o amigo e colega de trabalho por conta de um ataque cardíaco

O ator e humorista Cláudio Besserman Viana, o Bussunda, nasceu no Rio de Janeiro, em 26 de junho de 1962. Entrou para a Globo em 1989. Durante 14 anos, foi integrante do “Casseta & Planeta, Urgente!”.

O artista morreu de um ataque cardíaco em 17 de junho de 2006, no hotel em que estava, o Erb Best Western, em Vaterstetten, a 16 quilômetros do centro de Munique, onde acompanhava a Copa do Mundo FIFA.

Ademais, em memória de Bussunda, foi criada a série “Meu Amigo Bussunda” disponível no Globoplay, onde depoimentos emocionados de amigos e equipe de trabalho relembram as gravações do programa na cidade de Parsdorf e a pelada no campo de futebol do hotel. Também relatam o instante em que o ator sofreu a parada cardíaca.

Claudio Manoel e Bussunda (Foto: Reprodução/ Globo)
Claudio Manoel e Bussunda (Foto: Reprodução/ Globo)

O amigo carregava a culpa

Assim, na série, Claudio Manoel, que é ao mesmo tempo entrevistador e testemunha, conta que sequer conseguia tocar no assunto. Carregava a culpa por ter sido o autor da ideia da tal partida de futebol. Se o tempo não cura tudo, ameniza.

“Carreguei por um tempo uma certa culpa, porque fui eu que liguei pra ele chamando pra jogar bola. Então, fiquei pensando que se não tivesse tido essa ideia infeliz de jogar essa porra dessa pelada“, lamentou a Manoel.

Claudio, que também fazia parte de “Casseta e Planeta”, jogou ali toda a carga sentimental de suas perdas nos últimos 15 anos. Seis meses depois da morte de Bussunda, ele perdeu o irmão.

Em seguida, o pai. Um dia antes de começar a gravar programa, ano passado, foi a vez de sua mãe. O diretor dedicou o trabalho aos três.

Então, fora as dores, a série é, sobretudo, uma bonita celebração da existência de Bussunda, dividida em quatro episódios.

Os três primeiros, com direção e roteiro de Claudio e Micael Langer, lançaram mão de imagens inéditas e de arquivos, entrevistas com parentes e amigos, colegas e integrantes do “Casseta e Planeta” para narrar a trajetória de Bussunda, da infância à juventude.

Dessa forma, acabou surgindo o famoso apelido, resultado da aglutinação dos nomes Besserman e sujismundo. Por causa da falta de banho na colônia de férias que frequentava, acabou virando o “Besserman Sujismundo”. Depois, a alcunha evoluiu para “Bessermundo” e, por fim, “Bussunda”.

Bussunda. (Foto: Reprodução/Globo)
Bussunda. (Foto: Reprodução/Globo)
Bruna Alves

Autor(a):

Bruna Alves

Eu sou Bruna Alves, redatora de notícias da televisão e celebridades desde 2016, com passagens em alguns sites da área ao logo desse tempo. No FATOS DA TV, trago notícias com credibilidade e responsabilidade aos leitores, relembrando acontecimentos passados da TV e dos famosos, mas também deixando os leitores atualizados com assuntos da atualidade.