Humorista da Praça é Nossa viveu pesadelo da vida real antes de morrer: “Não queria andar”


Carlos Alberto de Nóbrega. (Foto: reprodução/SBT)
Carlos Alberto de Nóbrega (Foto: Reprodução/SBT)

Humorista da Praça é Nossa viveu tristes dias antes de morrer

Conhecido como o ícone Vera Verão do humorístico, A Praça é Nossa, o ator Jorge Lafond alegrou diversas pessoas durante a vida, mas antes de partir viveu momentos complicados e tristes.

Sua carreira se iniciou nos anos 70, Jorge teve passagem pelo balé do Fantástico, neste período percebeu o seu talento para o humor e fez partes do programas humorísticos Viva o Gordo e também Os Trapalhões.

Mas, pode-se dizer que Jorge Lafond ficou conhecido mesmo foi nos anos 90 quando passou a interpretar, ao lado do apresentador Carlos Alberto de Nóbrega e seu parceiro Buiu (Azeitona), a Vera Verão.

Jorge Lafond como Vera Verão (Foto: Reprodução)
Jorge Lafond como Vera Verão (Foto: Reprodução/SBT)

POLÊMICA ANTES DA MORTE

Um fato que marcou, de uma forma infeliz, o ator foi uma participação no programa Domingo Legal quando apresentado por Gugu. Em 2002, Jorge, caracterizado como Vera Verão estava no time das mulheres do programa e competindo em brincadeiras.

No mesmo dia, Padre Marcelo Rossi seria um dos convidados e com sua entrada no palco, Jorge foi retirado. A imprensa na ocasião afirmou que teria sido um pedido de Marcelo Rossi, algo que foi negado posteriormente.

Independente desta polêmica, Jorge Lafond voltou a ser convidado para o Domingo Legal em outro momento, mas recusou o convite.

Naquele mesmo ano, em dezembro, começaria a fase difícil do ator que sofreu uma parada cardíaca. Internado, Jorge teve complicações renais e morreu no dia 11 de janeiro de 2003 no auge de seus 50 anos.

Marcelo Pádua foi amigo pessoal além de assessor de Lafond, em entrevista ao programa Falando Francamente de Sônia Abrão para o SBT, ele entregou:

Ele não queria andar, não queria fazer nada, e o médico explicava que ele não tinha nenhum problema, e que poderia andar. Ele acabou ficando internado em outro hospital. Ele estava muito anêmico, e por conta desses problemas, ele se tornou um crônico renal. Infelizmente ele não resistiu”, contou Marcelo sobre os últimos momentos do eterno Jorge Lafond.