Morre cantora muito querida que fez história na música brasileira; a artista deixa fãs e amigos em Luto


Artista possuía uma carreira de sucesso (Foto: Reprodução/ Montagem/ Fatos da TV)
Fãs estão inconformados com a perda (Foto: Reprodução/ Montagem/ Fatos da TV)

A equipe da artista, que fez sucesso dentro e fora do Brasil, deu a triste notícia nas redes sociais da cantora

A diva do jazz brasileiro, a cantora Leny Andrade, morreu na manhã desta segunda-feira (24), no Rio de Janeiro. A informação foi confirmada através do perfil oficial da artista nas redes sociais.

“Estou indo encontrar João Donato e Tony Bennett. Música no céu. Minha voz estará sempre com vocês“, diz a publicação.

Então, segundo informações do G1, a cantora de 80 anos estava internada no Hospital de Clínicas de Jacarepaguá, zona oeste do Rio. Ela havia sido internada na semana passada após ter uma piora em seu quadro clínico.

Entretanto, Leny se recuperava de uma pneumonia desde junho, quando ficou intubada. Desde a sua alta médica, ela estava recebendo cuidados médicos no Retiro dos Artistas, casa de repouso onde vivia, mas o estado de saúde da cantora piorou no fim de semana e ela acabou não resistindo.

Leny Andrade, referência do jazz e da bossa nova (Foto: Reprodução/ Globo)
Leny Andrade, referência do jazz e da bossa nova (Foto: Reprodução/ Globo)

A famosa tinha uma carreira de sucesso

Carioca da gema, a artista nascida no Méier no dia 26 de janeiro de 1943, começou sua relação com a música logo na infância. Aos 9 anos, acabou levada pelo pai para se apresentar no Clube do Guri, da Rádio Tupi.

Então, na adolescência, se apresentou no famoso Beco das Garrafas, em Copacabana, um dos principais endereços da bossa nova e do samba-jazz. Nessa fase, regravou a canção “Quem sou eu”, de Dolores Duran, sua principal referência na música.

Em 1961, lançou seu primeiro LP, chamado “A Sensação”, se tornando a voz queridinha dos compositores de jazz da época.

Outro álbum de destaque da cantora foi “Estamos aí”, de 1965. Neste mesmo ano, Leny fez grande sucesso com o show “Gemini V”, ao lado de Pery Ribeiro e do Bossa 3.

Assim, no ano seguinte, recebeu um convite para fazer essa apresentação no México. A artista não só aceitou como retornou ao Brasil seis anos depois.

Além da América Latina, Leny também marcou presença nos Estados Unidos, tornando-se figura conhecida pelos apreciadores de jazz de Nova Iorque. Lá, a brasileira cativou ninguém menos que Tony Bennett.

Em suma, ao todo, a artista gravou 34 álbuns. Na vida pessoal, se casou apenas uma vez, com o escultor espanhol Carmelo Senna. O casal não teve filhos.

Morre, aos 80 anos, a cantora Leny Andrade, referência do jazz e da bossa nova (Foto: Reprodução/ Globo)
Morre, aos 80 anos, a cantora Leny Andrade, referência do jazz e da bossa nova (Foto: Reprodução/ Globo)
Bruna Alves

Autor(a):

Bruna Alves

Eu sou Bruna Alves, redatora de notícias da televisão e celebridades desde 2016, com passagens em alguns sites da área ao logo desse tempo. No FATOS DA TV, trago notícias com credibilidade e responsabilidade aos leitores, relembrando acontecimentos passados da TV e dos famosos, mas também deixando os leitores atualizados com assuntos da atualidade.