LUTO! Morre Glória Maria, um dos maiores ícones do jornalismo brasileiro e da televisão


Morre Glória Maria, um dos maiores ícones do jornalismo brasileiro e da televisão
Morre Glória Maria, um dos maiores ícones do jornalismo brasileiro e da televisão (Foto Reprodução/Montagem/Fatos da Tv)

O Brasil acordou de luto com a notícia devastadora da morte de Glória Maria, um ícone do jornalismo e da televisão brasileira

Hoje o Brasil acordou de luto ! Um dos nossos maiores ícones e inspiração do jornalismo brasileiro, Glória Maria, morreu no Rio de Janeiro nesta quinta-feira (02), aos 73 anos de idade.

Segundo o G1, a causa da morte ainda não foi oficialmente divulgada, mas ela já lutava contra um tumor no cérebro há muito tempo.

A Rede Globo inteira está vivendo o luto, todos os programas não estão falando de outra coisa, afinal, a importância de Glória é algo extremamente significativo.

Com muito pesar a emissora emitiu uma nota: “É com muita tristeza que anunciamos a morte de nossa colega, a jornalista Glória Maria” – Disse a nota

 

Glória Maria morre nesta quinta feira vítima de um câncer no cérebro (Foto Reprodução/G1)
Glória Maria morre nesta quinta feira, mas a real causa ainda não foi revelada (Foto Reprodução/G1)

 

Como muitos sabem Glória Maria, no ano de 2019 lutou contra um câncer de pulmão. O tratamento com imunoterapia teve sucesso, mas um tempo depois, ela sofreu metástase no cérebro, que também pôde, inicialmente, ser tratada com êxito por meio de cirurgia, mas os novos tratamentos não avançaram:

 

“Em meados do ano passado, Glória Maria começou uma nova fase do tratamento para combater novas metástases cerebrais que, infelizmente, deixou de fazer efeito nos últimos dias, e Glória morreu esta manhã, no Hospital Copa Star, na Zona Sul do Rio” – Continua o comunicado da Globo

 

 

Glória Maria foi um dos maiores ícones do jornalismo e da Tv brasileira, que passou por muitos programas do ramo da Globo (Foto Reprodução/Internet)
Glória Maria foi um dos maiores ícones do jornalismo e da Tv brasileira, que passou por muitos programas do ramo da Globo (Foto Reprodução/Internet)

Glória Maria, que tem a palavra glória até no nome, foi pioneira inúmeras vezes. Ela foi a primeira a entrar ao vivo e em cores no “Jornal Nacional”, fato esse relembrado por Patrícia Poeta na manhã de hoje no “Encontro”, mostrou mais de 100 países em suas reportagens e protagonizou momentos históricos:

 

“Eu sou uma pessoa movida pela curiosidade e pelo susto. Se eu parar pra pensar racionalmente, não faço nada. Tenho que perder a racionalidade pra ir, deixar a curiosidade e o medo me levarem, que aí eu faço qualquer coisa.”

 

Trajetória Gloriosa

 

Glória Maria Matta da Silva, mais conhecida como Glória Maria, nasceu no Rio de Janeiro. Filha do alfaiate Cosme Braga da Silva e da dona de casa Edna Alves Matta, ela sempre estudou  em colégios públicos e se destacou em todos eles.

 

Em entrevista ao Memória Globo ela confessou que não pensava muito em televisão na época. A Tv foi algo que entrou na vida dela depois, quando ela já estava lá:

 

“ A televisão era algo que não existia, em termos de jornalismo, em termos de cultura, era tudo emblionário. Meu sonho era sair daqui e ir para um jornal e escrever. Até porquê a nossa atividade política era muito forte, eu achava que no jornal poderíamos  fazer denuncia. Então televisão nunca passou pela minha cabeça até eu entrar lá”

 

 

Gloriosa Glória Maria, foi uma das jornalistas mais emblemáticas, pois abriu portas que até então eram inexistentes (Foto Reprodução/Memória da Tv)
Gloriosa Glória Maria, foi uma das jornalistas mais emblemáticas pois abriu portas que, até então, eram inexistentes (Foto Reprodução/Memória da Tv)

Quando ingressou na faculdade de Jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-Rio), ela conciliava os estudos com o emprego de telefonista da Embratel.

 

Na década de 70, em meio à ditadura militar no brasil, um dos momento históricos mais difíceis, principalmente pra o jornalismo brasileiro devido à censura, ela foi indicada por uma amiga para ser radio-escuta da Globo do Rio.

 

Naquele tempo sem internet, ela corajosamente descobria o que acontecia na cidade ouvindo as frequências de rádio da polícia e fazendo rondas ao telefone, ligando para batalhões e delegacias

 

Glória Maria no “Memória Globo” revelou momentos marcantes da sua carreira (Foto Reprodução/Globo)

 

Na Globo, tornou-se repórter numa época em que os jornalistas ainda não apareciam no vídeo. A estreia como repórter foi no ano de 1971, na cobertura do desabamento do Elevado Paulo de Frontin, no Rio de Janeiro:

 

“Quem me ensinou tudo, a segurar o microfone, a falar, foi o Orlando Moreira, o primeiro repórter cinematográfico com quem trabalhei” – Afirmou ela, ainda em entrevista para o Memória Globo

 

Glória Maria trabalhou no Jornal Hoje, no RJTV e no Bom Dia Rio. Coube a ela a primeira reportagem do matinal local, há 40 anos, sobre a febre das corridas de rua.

 

Gloria Maria, ícone do jornalismo brasileiro, deixou uma marca inabalável na história (Foto Reprodução/Internet)

 

No “Jornal Nacional”, foi a primeira repórter a aparecer ao vivo na Tv. Cobriu a posse de Jimmy Carter em Washington e, no Brasil. Como mencionamos, ela tinha uma coragem sem igual, em plena ditadura ela conseguiu entrevistar  chefes de estado, como o ex-presidente João Baptista Figueiredo, um dos mais temidos da ditadura:

 

“Foi quando ele [João Figueiredo] fez aquele discurso ‘eu prendo e arrebento’ – para defender a abertura [1979]. Na hora, o filme [para fazer a gravação da entrevista] acabou e não tínhamos conseguido gravar” – Iniciou ela que continuou:

 

Aí eu pedi: ‘Presidente, é a TV Globo, o Jornal Nacional, será que o senhor poderia repetir?’. ‘Problema seu, eu não vou repetir’, disse Figueiredo. O ex-presidente dizia para a segurança: ‘Não deixa aquela neguinha chegar perto de mim’” – Relembrou

 

Outro fato marcante dela é que ela foi a primeira pessoa a usar a Lei Afonso Arinos, a primeira norma contra o racismo no Brasil, ao ser impedida de entrar em um hotel por ser negra na década de 70 e sempre foi ativista contra o racismo.

 

Não há uma só pessoa que queira ingressar na carreira do jornalismo ou que já esteja no ramo que não a admire. Sem dúvidas uma das nossas maiores perdas.

 

Porém suas matérias foram tão impactantes, que ela ficará para sempre VIVA em nossa história ! Glória Maria, você é e sempre será gloriosa!

Lennita Lee

Autor(a):

Lennita Lee

Meu nome é Lennita Lee, tenho 32 anos, nasci e cresci em São Paulo. Viajei Brasil afora, e voltei para essa cidade, afim de recomeçar a minha vida. Sou formada em moda pela instituição "Anhembi Morumbi" e sempre gostei de escrever. Minha maior paixão sempre foi a dramaturgia Também sou viciada em grandes produções latino americanas e mundiais. A arte é o que me move ....