Multishow investiga denúncias de assédio moral e perseguição no “Vai Que Cola”


Elenco do Vai Que Cola (Foto: Reprodução, Multishow)
Elenco do Vai Que Cola (Foto: Reprodução, Multishow)

Multishow informou que vai investigar os possíveis casos de assédio moral e perseguição nos bastidores de “Vai Que Cola”

Em nota oficial, a assessoria do Multishow afirmou que vai avaliar a situação, junto com a rede Globo e a produtora Fábrica, antes de tomar medidas corretivas. O canal também deve implementar ajustes necessários no humorístico do “Vai Que Cola”.

“O Multishow está acompanhando atentamente o caso de roteiristas do ‘Vai Que Cola’ que vieram a público relatar problemas de relacionamento com colegas de equipe e com o elenco do programa. Desde que tomaram conhecimento da situação, a produtora Fábrica, responsável pela produção, e as equipes da Globo responsáveis pelo conteúdo deram início a um processo de escuta com as lideranças criativas do programa, com o elenco e com os profissionais que relataram supostas situações de abuso”, declarou por fim.

Elenco do Vai Que Cola (Foto: Reprodução, Globo)
Elenco do Vai Que Cola (Foto: Reprodução, Globo)

“O Código de Ética da Globo estabelece que situações de discriminação e assédio não são toleradas. Quando denúncias desta natureza chegam ao conhecimento do canal, elas são devidamente apuradas e, conforme o caso, são feitos ajustes de processos e outras medidas corretivas.”

POLÊMICA NOS BASTIDORES

A equipe de roteirista de “Vai Que Cola” emitiu uma carta aberta na segunda-feira (21/8) contra os atores. A crise nos bastidores se instaurou após a demissão do roteirista André Gabeh devido a algumas atitudes do elenco.

Os colegas do escritor ficaram revoltados com o desligamento e passaram a identificar uma vulnerabilidade com o emprego no humorístico. Eles enviaram uma carta aberta em que expõem que parte do elenco não estaria satisfeita por ter o texto escrito por um ex-BBB. Como foi o caso de Gabeh, apesar de seu trabalho ser elogiado por todos os colegas e a direção. O texto também traz indicações de assédio moral e ambiente tóxico no ambiente de trabalho dos roteiristas.

Elenco de "Vai que Cola" na Globo (Foto Reprodução/Gshow)
Elenco de “Vai que Cola” na Globo (Foto Reprodução/Gshow)

Após a exposição, a Associação Brasileira de Autores Roteiristas (ABRA) também emitiu uma nota. Essa, contra a “cultura de medo e opressão” em ambientes do mercado audiovisual. E um ex-roteirista do programa, Daniel Porto, que pediu demissão no ano passado, compartilhou sua experiência traumática no “Vai que Cola”. Contudo, reforçando a acusação de assédio moral por parte do elenco.