Musa dos anos 80 desabafou depois não conseguir mais trabalho: “Vou leiloar meu corpo”


Nos anos 1970 e 1980, muitas atrizes se tornaram símbolos sexuais de uma geração

Nicole Puzzi foi uma dessas artistas que fizeram grande sucesso nessa época.

Nicole Puzzi (Foto: Reprodução / Youtube)
Nicole Puzzi (Foto: Reprodução / Youtube)

Considerada uma estrela da pornochanchada, a atriz fez inúmeros filmes desse gênero no cinema nacional, que apostava no erotismo em um momento de forte censura e baixo orçamento. Damas do Prazer (1975), O Prisioneiro do Sexo (1978) e Eros, o Deus do Amor (1981) foram algumas das produções que fizeram sucesso de público e bilheteria.

Na televisão, Nicole Puzzi fez sua estreia em O Machão (1974), novela exibida pela TV Tupi, vivendo a personagem Aretuza. Ela ainda esteve presente em vários sucessos, como Os Imigrantes (1981), Transas e Caretas (1984), Barriga de Aluguel (1991) e Perigosas Peruas (1992), entre outras produções.

Menos trabalhos

Mesmo assim, sempre ficou incomodada pelo fato de muitos olharem apenas para seu corpo ao invés de seu talento.

“Não quero mais auê nem pouca estrutura de trabalho. E não gostaria que as pessoas me vissem apenas pelo meu corpo. Até poderia aparecer só por isso, mas é muito pouco. Meu objetivo atualmente é me dedicar a uma personagem, ampliar meu horizonte profissional e me aperfeiçoar cada vez mais. Não quero ser estrela, quero ser atriz”, declarou Nicole Puzzi ao O Globo em 1991.

A artista acabou perdendo espaço na televisão, participando, em seguida, de produções como Roda da Vida (2001), Marisol (2002) e Amor e Revolução (2011), além de trabalhos no teatro.

Polêmica de Nicole Puzzi

Em 2012, por falta de espaço na TV e sem patrocínio para seus projetos no teatro, Nicole fez um desabafo em seu blog, em texto que gerou polêmica.

“Comecei a carreira usando o meu corpo. Que tal fazer um leilão,  não tão perfeitinho como antes, mas ainda bacaninha e bem mais experiente, até conseguir a grana para colocar a minha peça em cartaz? Isso anda na moda agora, não é mesmo? Leiloar o que nos pertence. Quem sabe podemos fazer uma rifa? Envie sugestões. Mas o leilão é apenas para machos acima de 40 anos”, ironizou.

Isso causou um rebuliço na imprensa e jogou luz à falta de investimento no teatro e, principalmente, sobre o esquecimento de artistas que já tiveram no topo.

Posteriormente, Nicole Puzzi ganhou um programa no Canal Brasil chamado Pornolândia; a atração fala abertamente sobre sexo e erotismo.

“O programa contribui bastante para quebras de preconceitos na vida sexual das pessoas. A gente não pode mais ficar criticando a sexualidade alheia. Isso tem que parar. Estou com 63 anos. Ao longo da minha carreira, acho que bati o recorde como símbolo sexual.

Me enxergam assim há 43 anos. Não foi uma opção minha. Aconteceu. Eu não me sinto desse jeito, no meu dia a dia, sou uma pessoa muito simples. Acho que o povo está maluco. Estou quebrando um parâmetro, vamos dizer assim”, disse a atriz em entrevista a Heloisa Tolipan.

Atualmente com 64 anos, Nicole Puzzi continua mostrando o seu talento no cinema e no teatro, comprovando que nunca foi somente mais um rosto bonito.

Lucas Goia

Autor(a):

Lucas Goia