No SBT, Carla Perez desejava passar perna em Hebe Camargo: “A nova Hebe”


No SBT, Carla Perez desejava passar perna em Hebe Camargo (Foto: Reprodução, SBT)
No SBT, Carla Perez desejava passar perna em Hebe Camargo (Foto: Reprodução, SBT)

Durante seus anos de ouro no SBT, Carla Perez tinha um grande desejo dentro da emissora, ser a nova Hebe Camargo

Carla Perez estourou de vez ao lado do grupo É o Tchan, isso em 1996. Com todo o sucesso, Carla decidiu investir na carreira de apresentadora. Foi então contratada pelo SBT, a loira então apresentou dois programas na emissora de Silvio Santos.

Carla Perez em É o Tchan (Foto: Reprodução)
Carla Perez em É o Tchan (Foto: Reprodução)

Carla Aparecida Perez Soares da Silva, mais conhecida como Carla Perez, é uma apresentadora, dançarina e cantora brasileira. Foi durante muito tempo dançarina do grupo “Gera Samba”, que depois passou a se chamar “É o Tchan!”. Nasceu em 16 de novembro de 1977, em Salvador, na Bahia.

Contudo, em 1998, estreou como atriz no longa “Cinderela Baiana”, filme que conta a trajetória da bailarina. O longa foi o primeiro de Lázaro Ramos e Lucci Ferreira e contou ainda com a participação de Alexandre Pires, namorado na época de Carla Perez.

Carla Perez em Cinderela Baiana (Foto: Reprodução)
Carla Perez em Cinderela Baiana (Foto: Reprodução)

A grande polemica

Na TV, trabalhou por quatro anos no SBT, emissora na qual apresentou o programa “Fantasia”e o “Canta e Dança, Minha Gente”. Carla se dedica ao público infantil e lançou álbuns voltados às crianças. Seu bloco carnavalesco, o “Algodão Doce” é um dos grandes sucessos da garotada no carnaval de Salvador.

No entanto, a polêmica declaração foi dada em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo de 8 de agosto de 1999, algumas semanas antes da estreia do Canta e Dança, Minha Gente. “Acredito que, pouco a pouco, me tornarei a nova Hebe da televisão”, disse ao repórter Thiago Stivaletti.

Carla Perez (Foto: Reprodução)
Carla Perez (Foto: Reprodução)

A atração foi massacrada pela crítica. Na revista Isto Gente de 22 de novembro de 1999, uma semana após a estreia, Lilian Amarante chamou o programa de “aeróbica musical”. “Durante uma hora de programa, pelo menos cem pessoas dançam freneticamente embaladas pelas músicas dos convidados”, explicou. “A impressão geral é de cansaço, principalmente em casa. Colocar a plateia para dançar junto com os convidados não é novidade.” Disse por fim.