Novela da Globo abordou racismo e refletiu problemas do Brasil na época


Globo
Foto: Globo

Em 1985, a TV Globo colocou no ar a novela Corpo a Corpo, assinada por Gilberto Braga. Na trama, dois núcleos marcaram a história, o pacto de uma personagem com o diabo, e o racismo sofrido por um casal interracial.

Sônia e Cláudio foram interpretados por Zezé Motta e Marcos Paulo, mostrando as dificuldades que o racismo trouxe para a vida do casal na novela da Globo.

Em uma das cenas mais marcantes da história na novela da Globo, Sônia está em um jantar ao lado do marido, mas é esnobada pela empregada da família, que também era negra. Na época, era difícil ver personagens negros fora do estereótipo de serviçais.

Racismo em novela da Globo

Globo
Foto: Globo

Na trama, Cláudio era o rebelde da família, sempre entrando em conflitos com o pai conservador e preconceituoso. Dessa forma, o relacionamento com Sônia, claro, foi ponto de discordância entre eles.

Ademais, a trama seguia com o preconceituoso precisando de ajuda por questões de saúde e a protagonista foi quem o salvou, na novela da Globo.

O pior, no entanto, foi a reação de parte do público com o relacionamento dos personagens. Em entrevista ao programa Conversa com Bial, Zezé Motta detalhou o racismo que sofreu por conta de seu trabalho em Corpo a Corpo.

“As reações foram violentas (…) Um homem disse que se fosse ator e estivesse precisando de dinheiro e a televisão obrigasse a beijar uma negra feia e horrorosa ‘como aquela’, chegaria em casa todos os dias e desinfetaria a boca com água sanitária. (…) Teve uma empregada doméstica que disse que toda vez que o casal se beijava, ela trocava de canal porque não acreditava nesse amor. (…) Outro disse que não acreditava que Marcos Paulo estivesse tão necessitado de dinheiro para passar por essa humilhação”.

Você se lembra de Corpo a Corpo? Deixe nos comentários suas lembranças da novela da Globo.