Novela fiou apenas um mês no ar depois de sua estreia, por conta de morte do protagonista


Novela fiou apenas um mês no ar após morte de ator (Foto: Reprodução)
Novela fiou apenas um mês no ar após morte de ator (Foto: Reprodução)

Durando apenas um mês na TV, novela teve seu fim junto com protagonista que morreu por complicações de sua frágil saúde

Há 49 anos, em 8 de novembro de 1973, estreava uma novela da TV Tupi que teria vida bem curta. O Conde Zebra, exibida até 28 de dezembro do mesmo ano, foi tirada do ar abruptamente pelo canal após a morte de seu protagonista, apenas um mês e meio após a sua estreia.

A produção, escrita por Sérgio Jockyman (1930-2011) e dirigida por Luiz Gallon (1928-2002), substituiu A Volta de Beto Rockfeller, tentativa da emissora de reconquistar o sucesso alcançado pela trama original, de 1968, novamente com Luis Gustavo, mas sem chegar perto de obter o mesmo êxito.

Calcada no humor, O Conde Zebra mostrava a história de Vitório Testada (Otelo Zeloni), um humilde imigrante italiano. Um belo dia, uma santa aparecia em um sonho e dava a ele os números para jogar na loteria. Ele acabava vencendo e se tornava milionário, inclusive comprando um título de nobreza, passando a se chamar dom Vespasiano Testardo, o Conde Zebra do título.

No entanto, mal houve tempo de desenvolver a história. O ator Zeloni estava com um tumor cerebral. além disso, seu estado de saúde rapidamente se agravou.

Ator Otelo Zeloni em O Conde Zebra (Foto: Reprodução, Globo)
Ator Otelo Zeloni em O Conde Zebra (Foto: Reprodução, Globo)

O fim da produção?

Além da novela, Zeloni apresentava, também na Tupi, o programa de culinária Zeloni Forno e Fogão, ao vivo, aos domingos.

Com o repentino cancelamento da produção, a Tupi se virou com reprises até estrear O Machão, também de Jockyman, em 5 de fevereiro de 1974. A trama, estrelada por Antonio Fagundes e Maria Isabel de Lizandra (1946-2019), fez muito sucesso e deu origem, anos depois, a outro sucessos. Como por exemplo: O Cravo e a Rosa, de Walcyr Carrasco, produzida pela Globo entre 2000 e 2001.

Ator Otelo Zeloni em O Conde Zebra (Foto: Reprodução, Globo)
Ator Otelo Zeloni em O Conde Zebra (Foto: Reprodução, Globo)

Outras novelas ficaram marcadas pela perda de seus protagonistas durante as gravações, como O Primeiro Amor (1972), com a morte de Sérgio Cardoso (1925-1972); Sol de Verão (1983), com Jardel Filho (1928-1983); e, mais recentemente Velho Chico (2016), com Domingos Montagner (1962-2016).