Pânico “invadiu” A Fazenda, levou notícias externas para os participantes e causou alvoroço na Record


Pânico "invadiu" sede de A Fazenda. (Foto: reprodução)
Pânico "invadiu" sede de A Fazenda. (Foto: reprodução)

Desde a época da RedeTV!, em 2003, até o seu fim, na Band, em 2017, o Pânico ficou marcado pelo seu estilo irreverente, sem medo de ultrapassar os limites e causar polêmica. E um dos momentos mais marcantes foi quando o humorístico decidiu “invadir” A Fazenda.

O reality rural da Record ficava em uma fazenda isolada, no interior de São Paulo, protegida por uma segurança reforçada, na qual até mesmo estradas pelas redondezas são vigiadas para impedir a presença de curiosos e outras pessoas mal-intencionadas, que possam atrapalhar o andamento do programa.

Além disso, o isolamento faz parte da própria dinâmica do reality, já que os participantes ficam confinados sem nenhum tipo de contato externo, ou seja, eles não sabem de nada do que está se passando fora do programa. O Pânico, no entanto, decidiu desafiar isso, chegando a “invadir” A Fazenda mais de uma vez.

Pânico “invadiu” A Fazenda

A primeira “invasão” ocorreu em 2009, quando a atração ainda era exibida pela RedeTV!. Daniel Zuckerman, que estava no auge com o quadro O Impostor, no qual ele entrava de penetra em grandes festas e eventos, teve o desafio de voar de asa delta sobre a sede do programa, levando informações externas aos peões com uso de um megafone, como a morte de Michael Jackson e a saída de Gugu Liberato do SBT para a Record.

O Pânico investiu pesado nas chamadas para exibir a matéria, mas no momento em que Zuckerman estava se aproximando da sede, a tela ficou preta. De volta aos estúdios, o apresentador Emílio Surita explicou que a Record entrou com uma liminar na justiça impedindo que as imagens do momento fossem ao ar.

A segunda “invasão”

A segunda “invasão” ocorreu em 2013, quando a atração já estava na Band. O repórter Daniel Peixoto, o Alfinete, foi até as proximidades da sede de A Fazenda, e levou um drone com uma caixa de som para levar notícias externas aos participantes. Pela distância, no entanto, o drone perdeu sinal e acabou caindo nas redondezas, apesar de alguns peões ainda terem ouvido algumas notícias, mas foram orientados pela produção a não comentarem sobre o assunto.

Conhecendo bem o humorístico, a Record decidiu não acionar a justiça dessa vez para não dar “munição” para o concorrente. O drone, no entanto, teria sido apanhado por algum funcionário da emissora e não foi devolvido, o que fez o Pânico criar um quadro intitulado “O Resgate do Soldado Drone” para reaver o objeto.