Perda do pai e cuidados com a mãe: o que aconteceu com o ator que dá vida a Sebastian em Chocolate com Pimenta?


Tarcísio Filho como Sebastian em Chocolate com Pimenta. (Foto: Reprodução)
Tarcísio Filho como Sebastian em Chocolate com Pimenta. (Foto: Reprodução)

Dezenove anos após a exibição original de Chocolate com Pimenta, é curioso notar como diversos atores da novela tiveram destinos bem diferentes na carreira, apesar do sucesso do folhetim e do destaque que seus personagens conquistaram, como foi o caso de Tarcísio Filho, que deu vida ao golpista Sebastian.

Sobrinho do Conde Klaus (Claudio Correa e Castro), o personagem ganha bastante espaço na trama ao se envolver com a protagonista Ana Francisca (Mariana Ximenes). A pedido do tio, ele retorna à Ventura para aplicar um golpe na mocinha, tentando seduzi-la para se casar com ela e assim ter o controle da famosa fábrica de chocolates da cidade.

Quando foi chamado para Chocolate com Pimenta, o ator já tinha uma longa carreira na TV, tendo estreado nos anos 1980, mas ainda ganhou a fama de galã no folhetim. Depois do sucesso, ele emplacou uma boa sequência de trabalhos na Globo, entre novelas e séries. Seu último trabalho na TV foi na minissérie Passaporte para a Liberdade, no ano passado.

Tarcísio é filho dos consagrados atores Tarcísio Meira e Glória Menezes. Recentemente, no entanto, ele teve de lidar com a perda do pai, que faleceu aos 85 anos, vítima da Covid-19. A sua mãe também foi internada, mas conseguiu se recuperar da doença, e hoje conta com o auxílio do filho.

Tarcísio Filho ao lado da mãe, Glória Menezes. (Foto: Reprodução)
Tarcísio Filho ao lado da mãe, Glória Menezes. (Foto: Reprodução)

Intérprete do Conde Klaus em Chocolate com Pimenta teve destino ingrato

Quem acabou tendo um destino mais ingrato foi o seu colega de cena em Chocolate com Pimenta, Claudio Correa e Castro. Após o fim do folhetim, o ator enfrentou diversos problemas financeiros e precisou ir viver no Retiro dos Artistas, asilo que abriga celebridades que não tem mais onde morar.

“Sou péssimo administrador. Ganhei muito bem, mas não soube controlar meu dinheiro. Comprava tudo sem pensar. Nunca soube dizer não. As dívidas são as únicas coisas que me atormentam”, declarou Cláudio em entrevista na época.

“Tinha problemas pessoais graves e não tinha para onde ir. Precisava estar num lugar como o Retiro, onde eu não gastasse nada e cuidassem de mim”, completou o ator, que apesar da situação triste em que se encontrava nos seus últimos anos de vida, garantia que sempre foi bem tratado no local.

Cláudio Correa e Castro acabou falecendo no dia 16 de agosto de 2005, aos 77 anos, vítima de falência múltipla de órgãos.