Descubra como um personagem com AIDS alterou drasticamente a carreira da atriz de Chocolate com Pimenta


Rosamaria Murtinho ao lado de Samara Felippo em Chocolate com Pimenta, da Globo. (Foto: Divulgação)
Rosamaria Murtinho ao lado de Samara Felippo em Chocolate com Pimenta, da Globo. (Foto: Divulgação)

Saiba como a interpretação de uma personagem com AIDS alterou completamente o rumo da carreira da atriz de ‘Chocolate com Pimenta’

Samara Felippo, reconhecida por suas atuações em produções como “Malhação” e “Sete Pecados” em 2007, esteve em reprise especial da novela “Chocolate com Pimenta”, da Rede Globo, no Vale à Pena Ver de Novo. Sua atuação em uma fase marcante de “Malhação”, no ano de 1999, abandonou as tramas habituais da academia para abordar temas delicados, incluindo a AIDS.

+ Reviravolta inesperada: Musa deixa Globo por Faustão e agora enfrenta desemprego

Na trama de “Malhação – Múltipla Escolha”, a personagem Érica, interpretada por Samara Felippo, vivencia um intenso drama amoroso ao se apaixonar por Rodrigo, namorado de sua amiga Tatiana, e membro do time de polo aquático do colégio. Essa fase da série foi notável pela abordagem pioneira sobre o vírus HIV.

O enredo desenrola-se quando Érica descobre sua paixão por outro integrante do time, Touro, desencadeando uma série de conflitos. Em meio ao drama, Marilu alerta Érica sobre o ex-namorado Papa-Léguas, que foi diagnosticado com o vírus. A personagem enfrenta o medo e a angústia ao descobrir sua soropositividade, levando ao rompimento do relacionamento com Touro e sua mudança para o interior.

+ Distribuía chifres! Musa dos anos 80 faz confissão bombástica sobre infidelidade: “Não fui fiel”

A trama evolui, mostrando o apoio de Touro à Érica, enquanto o pai dele rejeita o relacionamento devido à condição de soropositiva dela. O casal encontra apoio na mãe de Érica, Leila, enquanto a narrativa destaca a importância da conscientização e do apoio familiar diante da AIDS.

Essa abordagem corajosa e inovadora de “Malhação” resultou em um aumento significativo da audiência. O episódio em que Érica recebe o diagnóstico positivo para HIV atingiu um pico de 32 pontos de audiência, alcançando até 37 pontos em determinados momentos.

Opinião da artista

Samara Felippo, ao comentar sobre essa experiência, expressou seu apoio à maneira como o autor, Emanoel Jacobina, tratou do tema. Ela revelou a intensidade emocional das cenas, descrevendo o desafio de interpretar momentos dramáticos e o impacto disso em sua vida pessoal.

Apesar de mais de duas décadas desde essa marcante temporada de “Malhação”, Samara continua recebendo reconhecimento positivo do público. Em uma entrevista recente, ela refletiu sobre a importância de abordar o HIV na TV naquele momento, ressaltando não apenas a relevância desse tema, mas também outros assuntos pertinentes à época, como relações inter-raciais, gravidez na adolescência e inclusão de pessoas com deficiência física.

A atriz Samara Felippo e Priscila Fantin em Malhação de 1.999 (Foto: Reprodução)
A atriz Samara Felippo e Priscila Fantin em Malhação de 1999 (Foto: Reprodução)

Samara recordou seu envolvimento em debates e campanhas voltadas para a conscientização sobre a AIDS, incluindo participações em programas televisivos e apoio a ONGs dedicadas ao cuidado de crianças soropositivas. Essa fase em sua carreira foi não só desafiadora, mas também significativa pelo impacto social e pela oportunidade de contribuir para discussões importantes na sociedade.

Essa trajetória marcante não apenas impulsionou a carreira de Samara Felippo na televisão, mas também deixou um legado valioso ao levantar questões relevantes e promover diálogos cruciais sobre temas sensíveis na sociedade.

Carreira na Globo

Samara Felippo trilhou uma trajetória sólida na televisão brasileira desde sua estreia no seriado “Caça Talentos” em 1997 e sua participação no concurso “Estrela por um Dia” no programa “Domingão do Faustão”. Sua primeira incursão em novelas foi em “Anjo Mau”, onde interpretou Simone Garcia, seguindo com atuações marcantes em produções como “Meu Bem Querer”, “Suave Veneno” e, principalmente, na já citada Malhação (1999).

A carreira de Samara na TV se expandiu ao longo dos anos, marcada por papéis diversos e marcantes. Em 2003, interpretou a romântica Mariana na minissérie “A Casa das Sete Mulheres” e a frágil Celina em “Chocolate com Pimenta”. Sua veia cômica brilhou em “Da Cor do Pecado” (2004) como Greta, contracenando com Karina Bacchi e Rosi Campos, e como a espevitada Detinha em “América” (2005), uma personagem que tentava conquistar os peões da cidade a todo custo.

Samara Felippo em Chocolate com Pimenta (Foto: Reprodução/Globo)
Samara Felippo em Chocolate com Pimenta (Foto: Reprodução/Globo)

Além do trabalho na televisão, Samara também se aventurou no cinema, participando do filme “O Dono do Mar” (2001) e protagonizando “Concerto Campestre”. O teatro também fez parte de sua trajetória, marcando presença em diversas peças, incluindo “Êxtase”, “A frente fria que a chuva traz”, “Comunhão de Bens” e “O Guarani”.

Nos anos seguintes, a versatilidade de Samara se destacou em papéis como Maria Estela Kubitschek na minissérie “JK” (2006) e a vilã Wandinha em “O Profeta” (2006). Sua voz deu vida à personagem Colette na animação “Ratatouille” (2007), enquanto na TV interpretou a vilã Simone em “Sete Pecados” (2007). Ela também participou do reality show “Dança dos Famosos 5” e de séries como “Casos e Acasos”.

O ano de 2010 marcou seu retorno à televisão com uma participação no seriado “S.O.S. Emergência”. Em anos seguintes, sua presença nos palcos se intensificou com peças como “Hamlet” e a substituição de Adriane Galisteu em “Mulheres Alteradas”. Em 2012, foi escalada para a minissérie sobre a vida de Dercy Gonçalves, interpretando Maria Decimar, filha da humorista.

Rede Record

A atriz expandiu sua atuação para a RecordTV em 2013, participando da minissérie “José do Egito” como Diná, enquanto retornava ao teatro em “Orgulhosa Demais, Frágil Demais” como Marilyn Monroe. Sua versatilidade continuou sendo explorada em 2014 na série “O Caçador”, onde interpretou a stripper Paulinha Tsunami.

O ano de 2015 marcou sua presença na novela “Os Dez Mandamentos” como Joquebede. Em 2017, integrando o elenco de “Apocalipse”, viveu a policial Natália, sua primeira telenovela fixa em uma década. Seu trabalho também foi notável em “Topíssima” (2019), onde interpretou Thaís, mãe da adolescente Jade, vivida por Myrella Victória.

Atriz Samara Felippo. (Foto: reprodução/UOL)
Atriz Samara Felippo. (Foto: Reprodução/Internet)
Hudson William

Escrevo sobre notícias da TV e das celebridades há muitos anos com passagens, inclusive, por outros portais como TV Foco. Meu objetivo é informar com precisão e clareza.