Rede Globo está sendo processada por vários atores magoados


Rede Globo é processada (Foto: Reprodução, Globo)
Rede Globo é processada (Foto: Reprodução, Globo)

Globo, canal líder de audiência virou alvo de atores que buscam o reconhecimento dos direitos trabalhistas

Depois de apresentadores, jornalistas e autor de novela, a Globo deve enfrentar uma chuva de processos trabalhistas de ex-atores da emissora.

Segundo o que o NaTelinha apurou, nomes conhecidos do público já estão se preparando com o intuito de acionarem a Justiça na busca do reconhecimento empregatício no período em que prestaram serviços como PJ (Pessoa jurídica), sem usufruir dos direitos de quem é CLT (carteira assinada).

São artistas famosos, que também incluem veteranos, que estão reunindo provas e já definindo a melhor forma de defesa da causa nos tribunais. Parte desses atores saiu magoada do canal pela forma que foram dispensados.

Rede Globo de Televisões (Foto: Reprodução, Globo)
Rede Globo de Televisões (Foto: Reprodução, Globo)

Segundo fontes ouvidas, eles perceberam que não terão uma segunda oportunidade de trabalho em produções da Globo, porque a emissora não contratou nenhum deles mesmo sendo indicados por autores para personagens em novelas e séries. Perceberam que isso foi um sinal de que as portas estão fechadas.

Desde 2018, quando a emissora iniciou o programa Uma Só Globo, a líder de audiência passou a adotar o modelo de contrato por obra e não renovou os contratos fixos. O intuito é seguir uma tendência mundial e cortar custos fixos de produção. Com isso, dezenas de atores foram dispensados que estavam há anos na emissora.

Os processos

O canal já se defende de diversos processos trabalhistas de seus famosos ex-funcionários. Em 2017, Carolina Ferraz não renovou seu contrato, depois de 27 anos, e entrou com uma ação trabalhista contra a Globo. Contudo, a atriz afirma que seu contrato de trabalho nunca foi registrado pela CLT. Por isso, ela diz ter sido privada de benefícios como férias remuneradas e 13º salário. A indenização gira em torno de R$ 7 milhões. Sobre a mesma questão, Maitê Proença também abriu uma ação contra a Globo.

Rede Globo de Televisões (Foto: Reprodução, Globo)
Rede Globo de Televisões (Foto: Reprodução, Globo)

Em junho deste ano, o ex-narrador da emissora, Jota Júnior, processou a emissora por direitos trabalhistas referentes aos 24 anos que atuou na empresa. Porém, o profissional, que foi demitido em março, cobra R$ 15,8 milhões por adicional noturno, hora extra e acúmulo de função.

Contudo, na última quarta-feira (27), o escritor Euclydes Marinho, que trabalhou na Globo de 1979 a 2020, ganhou uma ação contra a emissora. Além disso, o autor receberá cerca de R$ 3,5 milhões, entre danos morais e verbas rescisórias não quitadas pelos anos que escreveu para o canal carioca.