Renato Aragão ameaçou abandonar a Globo para fazer novo Trapalhões com Quico


Renato Aragão e Carlos Villagrán, o Quico de Chaves. (Foto: reprodução)
Renato Aragão e Carlos Villagrán, o Quico de Chaves. (Foto: Reprodução)

Mesmo já tendo sido considerado uma das principais estrelas do humor na Globo, liderando o quarteto de Os Trapalhões por muitos anos, Renato Aragão já teve os seus momentos de baixa, que quase o fizeram deixar a emissora em algumas ocasiões.

Uma delas ocorreu em 1996. Um ano antes, a Globo já havia decretado o fim de Os Trapalhões, depois da morte de Mauro Faccio Gonçalves e de Antônio Carlos Bernardes Gomes, intérpretes do Zacarias e de Mussum, respectivamente, o que fez o humorístico perder a sua força.

Assim, o eterno Didi Mocó ficou sem muita função e acabou sendo colocado na “geladeira” da emissora. Ele não escondia sua insatisfação com a falta de espaço no canal, e chegou a expor publicamente o seu desejo de deixar a Globo após 20 anos. “De repente, a gente vira móveis e utensílios, e isso está me incomodando”, disparou o comediante na época. “Vou para onde tenha melhores condições de trabalho e possa experimentar alguma novidade”, completou.

Humorista quase criou novo Trapalhões fora da Globo

Duas emissoras já estavam de olho em Renato Aragão, sendo uma delas o SBT. Em parceria com Beto Carreiro e Dedé Santana, ele já vinha desenvolvendo um projeto de humorístico de forma independente, e que teria os mesmos moldes de Os Trapalhões, para apresentar a um desses canais.

A grande novidade do projeto seria a participação de Carlos Villagrán, o eterno Quico de Chaves, que em 1997, havia causado o maior alvoroço em sua primeira visita ao Brasil. Na época, o próprio empresário do comediante mexicano, Hugo Cortéz, confirmou que ele havia recebido uma proposta para participar dessa nova versão de Os Trapalhões.

Hoje em dia, a Globo não faz muita questão de segurar suas principais estrelas, especialmente aquelas que não estão mais em alta, mas na época, a emissora não tolerava perder grandes nomes para a concorrência, mesmo que não houvesse projetos disponíveis para eles no momento.

E foi o que ocorreu com Renato Aragão. Ao perceber o risco de perder o humorista para alguma emissora concorrente, a Globo decidiu segurá-lo, lhe dando novas oportunidades. Entre um projeto e outro, e mais algum período na “geladeira”, o veterano ainda permaneceu no canal até 2020, quando seu contrato finalmente foi encerrado, após 44 anos.