Complicação após cirurgia: saiba o que aconteceu com Yoná Magalhães, a Virgínia de Paraíso Tropical


Yoná Magalhães em Paraíso Tropical. (Foto: reprodução, Globo)
Yoná Magalhães em Paraíso Tropical. (Foto: reprodução, Globo)

Yoná Magalhães integrou o elenco de Paraíso Tropical

Yoná Magalhães é atualmente lembrada na reprise de “Paraíso Tropical” (2007) no Vale a Pena Ver de Novo. Sua longa trajetória nas novelas das oito da Globo marcou a história da televisão brasileira.

Com início de carreira na rádio e TV Tupi nos anos 1950, Yoná ingressou na Globo em 1965, tornando-se a primeira mocinha do canal recém-lançado. Ao longo dos anos, participou de diversas produções, incluindo “Eu Compro Esta Mulher” (1966), “O Sheik de Agadir” (1966), “O Homem Proibido” (1968), “O Semideus” (1973), “Corrida do Ouro” (1974) e “Saramandaia” (1976).

Após passagens por outras emissoras, como a Tupi e a Band, Yoná retornou à Globo em “Amor com Amor se Paga” (1984), seguindo com trabalhos marcantes em novelas como “Roque Santeiro” (1985), “A Próxima Vítima” (1995) e “As Filhas da Mãe” (2001).

Atriz em cena da novela. (Foto: reprodução, Globo)
Atriz em cena da novela. (Foto: reprodução, Globo)

Atriz marcou a história da TV

Em “Paraíso Tropical”, sua última novela das oito, Yoná interpretou Virgínia, uma mulher de beleza invejável, envolvida em embates e situações cômicas com Iracema (Daisy Lúcidi), a síndica do Copamar, prédio onde se muda com o marido Belisário (Hugo Carvana).

Yoná Magalhães. (Foto: reprodução, internet)
Yoná Magalhães. (Foto: reprodução, internet)

Após “Paraíso Tropical”, Yoná participou de outras produções, como “Negócio da China” (2008) e “Cama de Gato” (2010), além de algumas séries. Sua última novela foi “Sangue Bom” (2013). A atriz faleceu em 20 de outubro de 2015, vítima de problemas cardiológicos e complicações pós-cirúrgicas. Seu legado na televisão brasileira é celebrado como parte fundamental da história da dramaturgia nacional.