O escândalo por trás da saída repentina de ator da Globo em Kubanacan, que completa 20 anos


Ator de Kubanacan pediu para sair da trama (Foto: TV Globo)
Ator de Kubanacan pediu para sair da trama (Foto: TV Globo)

Relembre a história de Kubanacan, a novela da Globo que satirizou as ditaduras latino-americanas

Kubanacan (2003), a novela de Carlos Lombardi, completa 20 anos desde a sua estreia na faixa das sete da Globo. A trama satirizava as ditaduras latino-americanas e ficou marcada pela história de Esteban (Marcos Pasquim), o pescador forte e sedutor. No entanto, o enredo também foi lembrado pela saída repentina de Humberto Martins, que interpretava Carlos Camacho.

+ Autora de Rebelde Brasil não se cala e decide expor proibições da Record: “Não podia ter”

Embora Martins tenha afirmado à época que precisava se afastar do trabalho para cuidar de problemas pessoais, rumores indicavam que ele estava incomodado por não receber tanto destaque quanto Pasquim. Segundo o autor Fábio Costa, no livro “Novela, a Obra Aberta e Seus Problemas”, Martins se queixou e pediu para deixar o elenco por se sentir melindrado.

+ Globo passa o facão mais uma vez e demite 20 profissionais, deixando bastidores em choque

Para explicar a ausência do personagem na trama, Lombardi criou uma história em que o general Camacho foi atrás de um fazendeiro que apoiaria sua candidatura à presidência. Então, o autor criou um irmão do ditador, Celso Camacho (Marco Ricca), para suprir o papel de vilão na narrativa.

No entanto, alguns meses depois, Humberto Martins voltou à novela, e a trama seguiu com a história de dois irmãos que disputavam o poder.

Ator pediu para sair trama da Globo
Ator pediu para sair trama da Globo (Foto: Reprodução/Globo)

A história da trama

Kubanacan se passava em uma república fictícia nos anos 1950 e abordava os problemas dos países sul-americanos governados por ditadores. A história começou quando os militares se incomodaram com a benevolência de Rúbio Montenegro (Stênio Garcia) diante dos protestos da oposição. O general Camacho, amante da primeira-dama, Mercedes (Betty Lago), antecipou o golpe do Exército e assumiu o poder após a morte de Rúbio.

+ Repleta de furos, Travessia deixa o Brasil sem respostas no final

A trama também contava com uma colônia de pescadores como núcleo central. Marisol (Danielle Winits), casada com Enrico (Vladimir Brichta), se apaixonou por um homem desmemoriado e misterioso que surgiu na praia.

Com o tempo, Kubanacan se tornou um sucesso de audiência e um marco na história da teledramaturgia brasileira, sendo lembrada até hoje por muitos fãs.

Hudson William

Escrevo sobre notícias da TV e das celebridades há muitos anos com passagens, inclusive, por outros portais como TV Foco. Meu objetivo é informar com precisão e clareza.