Sandra Annenberg foi envolvida em decisão errada do SBT e enfrentou fracasso na emissora


A jornalista Sandra Annenberg (Foto: Reprodução)
A jornalista Sandra Annenberg (Foto: Reprodução)

A jornalista Sandra Annenberg atuou em Cortina de Vidro

O SBT teve duas opções de novelas para escolher em 1989. Uma se tratava da sinopse de Benedito Ruy Barbosa sobre o Pantanal e a outra a trama Walcyr Carrasco, a ser feita de forma independente, com custos bem mais inferiores.

Assim sendo, o canal de Silvio Santos optou por Cortina de Vidro, mas não obteve êxito, enquanto a outra obra rendeu bastante sucesso na Manchete.

+ Globo arrumou briga com Edir Macedo ao exibir série polêmica com referências ao líder religioso

A obra foi produzida pela Miksom, de Guga de Oliveira, irmão de José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni. Abordava-se a história de Frederico Stuart Mill (Herson Capri), milionário que finge de pobretão para atrair a jovem Branca (Betty Gofman), por quem se apaixona. Ele fica próximo também da operária Ângela (Sandra Annenberg).

Com somente oito cenários erguidos em galpão, a produção enfrentou vários problemas com a venda do local durante a novela e a produtora teve que abandonar o prédio.

Sandra junto de Jayme Periard, o Marcelo na história de Walcyr Carrasco (Foto: Caio Ferrari/SBT)
Sandra junto de Jayme Periard, o Marcelo na história de Walcyr Carrasco (Foto: Caio Ferrari/SBT)

Solução foi um incêndio

Carrasco remeteu à Janete Clair em Anastácia, a Mulher Sem Destino (1967). Dessa maneira, colocou no roteiro um incêndio no edifício, a fim de aproveitou para se desfazer de alguns personagens.

“Eu precisava de uma razão dramatúrgica para sairmos de lá, para mudar o rumo da história. Mas, para você ter uma ideia, matei personagens que não tinham cenário próprio, porque, economicamente falando, não havia mais como criar novos cenários”, esclareceu o autor ao livro A Seguir, Cenas do Próximo Capítulo.

+ Assim como Jade Picon, outra ex-BBB sofreu em novela na Globo e até foi humilhada por ator

“Cortina de Vidro caminha à deriva, sem imprimir um estilo próprio de ser novela. Ainda não sabe se vai ser pastelão, dramalhão ou pós-tudo. Involuntariamente, é a estrela da temporada de caça a bobagens”, criticou Ana Carmen Foschini, em análise na Folha de S.Paulo.

A trama foi substituída por Brasileiras e Brasileiros, que obteve grande investimento do SBT. No entanto, essa novela também não teve êxito e provocou prejuízo nos cofres da emissora. A emissora só teve sucesso com novelas a partir de 1994, com a trama Éramos Seis, que foi um sucesso em audiência.

Hudson William

Escrevo sobre notícias da TV e das celebridades há muitos anos com passagens, inclusive, por outros portais como TV Foco. Meu objetivo é informar com precisão e clareza.