Segredo sombrio que estrela de Os Trapalhões escondeu por tantos anos foi revelado e agora sabemos o motivo


Elenco de Os Trapalhões. (Foto: reprodução)
Elenco de Os Trapalhões. (Foto: reprodução)

Um dos humorísticos mais queridos e de maior sucesso da história da televisão brasileira, Os Trapalhões também não está a salvo de polêmicas nos bastidores envolvendo os seus atores, mesmo aqueles que não faziam parte do quarteto principal, formado por Didi (Renato Aragão), Dedé (Dedé Santana), Mussum e Zacarias.

E uma dessas polêmicas foi protagonizada por Augusto Temístocles da Silva, o famoso Tião Macalé, que era coadjuvante do grupo e ganhou fama pelo seu bordão “Ih, nojento, tchan!”. No humorístico, por diversas vezes, o seu personagem sofria com as armações de Didi Mocó.

Em entrevista a alguns podcasts, Rafael Spaca, diretor do documentário Trapalhadas Sem Fim, que revela detalhes dos bastidores de Os trapalhões, trouxe à tona algumas histórias bastante controversas envolvendo Tião por trás das câmeras. Segundo o documentarista, o humorista protagonizava uma rivalidade com Mussum, pelo fato dos dois terem estilos parecidos.

“Existia rivalidade entre Mussum com Tião Macalé. Ciúme. Rivalidade real. Porque o Tião, se você olhar, é um cara [comum]. É intuitivo. Igual Mussum. Era um cara que não precisava fazer muita força para você rir. Aquele chapelão, ambos negros, também de um jeito que a molecada gostava”, contou.

Tião Macalé. (Foto: Reprodução)
Tião Macalé. (Foto: Reprodução)

Estrela de Os Trapalhões teve envolvimento com garotos

O diretor ainda trouxe à tona uma história sombria sobre a ex-estrela de Os Trapalhões, sugerindo que ele teve envolvimento com garotos que jogavam futebol na praia. “Então, cara, tem umas histórias do Tião barra pesada. Ele era apaixonado por futebol, tinha um time de praia no Rio e ele dava em cima dos meninos”, iniciou o diretor.

“O Tião tinha um time… Não me lembro o nome, mas ele treinava na praia e ele gostava de ver a molecada treinar, e ele dava em cima dos jogadores do time. Era um time mesclado: tinha pessoas de 17, 20, 30 anos. Ele treinava e se apaixonava pelos jogadores do time dele”, continuou.

Spaca contou que não chegou a se aprofundar no caso pois o foco sempre foi o quarteto, mas a própria equipe da série na época tinha conhecimento dessa história de Tião, que morreu em 1993, aos 66 anos, vítima de uma infecção pulmonar.

“O que a gente soube dele, é essa questão mesmo do time, a gente não se aprofundou porque o foco é o quarteto. Mas eu acredito ser uma coisa sabida da produção do programa a respeito do que cada um era na sua intimidade”, revelou.