Veterana renomada da TV, reclamou do SBT, e não quis mais saber da emissora “Nunca fui tão maltratada”


Veterana do SBT, nunca mais quis saber da emissora do Silvio Santos ( Foto Reprodução/IMontagem/Fatos da Tv)
Veterana do SBT, nunca mais quis saber da emissora do Silvio Santos ( Foto Reprodução/IMontagem/Fatos da Tv)

Uma atriz que tinha tudo para fazer sucesso no SBT, se desiludiu, e nunca mais quis voltar para à emissora

Em meados da década de 90, mais precisamente 1996, o SBT decidiu colocar todas as suas fichas em trazer para o horário nobre, três novelas; “Colégio Brasil, ” Razão de Viver” e “Antônio Alves, o Taxista”. Tendo essa última estrelada pelo cantor Fábio Jr, mas foi um verdadeiro fiasco de audiência e sofreu inúmeras críticas tanto do público como da imprensa. Porém a trama tinha como plano, contar com uma excelente atriz, mas ela acabou escapando.

Artista essa que pode ser vista na reprise do Viva de “Força de um Desejo”, estamos falando da musa, Sônia Braga, que morou nos Estados Unidos, mas recebeu propostas de regressar ao Brasil e atuar na novela.

Sônia Braga em "A Força de um Desejo" (Foto Reprodução/Internet)
Sônia Braga em “A Força de um Desejo” (Foto Reprodução/Internet)

Ela que estava longe das telinhas desde “Chega Mais”, da Globo, na década de 80, chegou a receber a premissa da trama que teria Fabio Jr como protagonista. em entrevista ao Jornal “O Globo” ela chegou a assumir que estava empolgada com a ideia de trabalhar ao lado do cantor, porém não havia decidido ainda, pois ela gostaria de ler melhor a sinopse afim de ter certeza.

a atriz e Tony Ramos em "Chega Mais" (Foto Reprodução/Memória Globo)
Sônia Braga e Tony Ramos em “Chega Mais” (Foto Reprodução/Memória Globo)

Silvio Santos, por outro lado, estava com a expectativa lá em cima com a produção da obra, uma ve que ele faria parceria com os estúdios Ronda, empresa argentina que produzia folhetins italianos.

Com pouquíssimas informações, o SBT fazia um verdadeiro mistério quanto ao roteiro e aos personagens, até mesmo para com Sônia, que no final acabou aceitando o convite da emissora.

As gravações da trama que seria ambientada entre São Paulo e Buenos Aires começaram em março de 1996, com um custo aproximado de 6 milhões de dólares. Ambos os atores estavam extremamente ansiosos em fazer o folhetim, fora que Silvio Santos apostou alto da trama. Porém, os problemas começaram a surgir logo na primeira semana.

O folhetim que era uma verdadeira promessa do SBT, virou um verdadeiro fracasso da emissora (Foto Reprodução/SBT)
O folhetim que era uma verdadeira promessa do SBT, virou um verdadeiro fracasso da emissora (Foto Reprodução/SBTPedia)

A Briga e quebra de contrato

Sônia Braga se trancou em um quarto de hotel e faltou as gravações. Alguns colegas afirmaram que Sônia Braga estava insatisfeita com o folhetim, principalmente pela qualidade do texto. O SBT buscou uma satisfação sobre o desaparecimento de Sônia, e ela afirmou que na verdade estava cuidando de sua saúde.

Em uma coletiva de imprensa na época, ela alegou que estava com uma licença médica devido a estafa emocional que a novela causara nela. A sua briga mais intensa, foi com Omar Romay, dono da produtora argentina “Ronda Studios”, tudo começou quando Sônia tomou um susto ao se deparar com um erro de português e um erro antigo, sem o menor sentido, além de perceber não ter o espaço que lhe prometeram no inicio do projeto.

Omar Romay, dono da produtora argentina "Ronda Studios"(Foto Reprodução/DCI)
Omar Romay, dono da produtora argentina “Ronda Studios”(Foto Reprodução/DCI)

Muito assustada com todos os fatos, ela decidiu “se distrair” e foi literalmente varrer uma praça no centro de Buenos Aires. Algumas Ongs argentinas aprovaram a atitude da atriz, mas isso despertou a fúria de Osmar, que pediu a quebra de contrato imediata, que foi aceita pelo SBT, colocando no lugar de Sônia a atriz Branca de Camargo.

Branca de Camargo substituiu Sônia Braga (Foto reprodução/Internet)
Branca de Camargo substituiu Sônia Braga (Foto reprodução/Internet)

Inconformada com toda essa situação, Sônia mostrou que esteve no set de filmagens, e que não faltou com seus compromissos. O caso foi parar na justiça. Em uma entrevista que Sônia deu ao ” O Estado de São Paulo” ela fez um comovente desabafo;

“Nunca fui tão maltratada em minha carreira”- Disparou ela, que ainda continuou: “Como podem demitir quem está tentando sugerir adendos a um texto piegas, com ideia de transforma-lo em algo de qualidade?”

Alguns meses depois, Vicente Sesso, contratado para escrever novelas para o SBT, foi atrás da atriz em Nova York, afim de convida-la para ser protagonista da nova novela “A Pantera”, que estrearia no lugar da novela até então fracassada. Ele tentou a convencer a permanecer na emissora do Silvio Santos, esquecer o que havia passado, e atuar em uma produção com direção de Nilton Travesso ou Roberto Talma.

Como a atriz era muito amiga de Vicente, ela pediu para que não tocassem mais no assunto de trabalhar no SBT, Em uma entrevista ao Estadão ela afirmou: “Pedi para que não se tocasse no assunto até que meus probleminhas por lá fossem resolvidos”

Conclusão? Sônia Braga não voltou ao SBT e a trama de Sesso nunca saiu do papel. A atriz só voltou a despontar em novelas em duas ocasiões, em ” A Força de um Desejo” da Globo em 1999 e em “Páginas da Vida” em 2006. Sônia Braga ainda encanta o público, e é considerada uma das principais expoentes da dramaturgia brasileira

ATRIZ nunca mais quis voltar ao SBT (Foto Reprodução/Internet)
Sõnia Braga nunca mais quis voltar ao SBT (Foto Reprodução/Internet)

 

 

Lennita Lee

Autor(a):

Lennita Lee

Meu nome é Lennita Lee, tenho 32 anos, nasci e cresci em São Paulo. Viajei Brasil afora, e voltei para essa cidade, afim de recomeçar a minha vida. Sou formada em moda pela instituição "Anhembi Morumbi" e sempre gostei de escrever. Minha maior paixão sempre foi a dramaturgia Também sou viciada em grandes produções latino americanas e mundiais. A arte é o que me move ....