Viúvo de Rita Lee, Roberto de Carvalho, chora em entrevista ao Fantástico: “Ela não queria partir”


Roberto de Carvalho
Roberto de Carvalho concede entrevista ao Fantástico (Foto: Reprodução/Globo)

Parceiro toda a vida de Rita Lee, Roberto de Carvalho quis dar entrevista para o Fantástico em memória a cantora

Foi nesta semana que Rita Lee, cantora de 75 anos, morreu e deixou o Brasil mais triste. O Fantástico então entrevistou o viúvo da artista, Roberto de Carvalho que é músico e viveu com Rita por 47 anos.

Renata Ceribelli foi até o apartamento onde estava Roberto que logo de cara já disse sobre ter compartilhado a vida com Rita: “Um grande privilégio, um grande privilégio. E nos tornamos cara metade. Eu não posso dizer para você que a Rita e o Roberto….O Roberto é a Rita também, a Rita é o Roberto também. Em vida ou em morte. E ela continua sendo eu”.

Rita e Roberto se apaixonaram e viraram uma família, desta parceria, além de músicas, vieram três filhos, Beto, João e Antonio, assim como dois netos: Izabella e Arthur.

“A gente começou a fazer as coisas juntos porque ela ouvia: ‘O que você tocou aí? Isso é uma música, é uma música’. Aí ela vinha com o caderninho, sempre rápida”, relembrou Roberto que se emocionou e teve que parar de falar para chorar.

Renata quis saber se ele gostaria de parar a entrevista, porém o músico recusou. “Talvez eu fique assim pra sempre. Sempre vai ser difícil. Eu não tenho a menor pretensão de que fique fácil”, analisou.

Roberto de Carvalho
Roberto de Carvalho precisou tomar água no meio da entrevista (Foto: Reprodução)

Sobre os últimos dois anos, Roberto contou que Rita descobriu o câncer no pulmão no finalzinho da pandemia do covid-19 que começou em 2020.

“Medo, ansiedade, pavor. Junto com o João, meu filho, nós dois que tomamos conta da situação toda e a gente procurou se informar o máximo… Porque a gente foi jogado em um universo que a gente desconhecia”, diz.

Rita Lee
Rita Lee em entrevista para o Fantástico em 2020 (Foto: Reprodução/Globo)

Ela queria viver, não queria partir. Até o fim, ela nunca quis partir. Ela sempre tinha um monte de coisa. Planos de escrever, de fazer música. Eu até dizia pra ela: ‘Eu queria até trocar de lugar com você porque você tem muito mais coisa pra fazer do que eu. Eu vou e você fica’”, relembra.

Como foi a partida de Rita Lee? Roberto revelou na entrevista para o Fantástico.

“Ela foi perdendo…a capacidade de andar, a capacidade de pensar. Entretanto, os momentos finais dela foram de uma leveza, de uma calma, de uma doçura. Nós estávamos todos juntos com ela, montamos um quarto de hospital. E a última fase na cama, ela parecia uma criancinha, um passarinho. A respiração dela foi parando… foi em paz