Hoje sem emprego, jornalista já foi cotado para assumir vaga de William Bonner no Jornal Nacional


Carlos Nascimento já foi cotado para assumir o Jornal Nascimento. (Foto: reprodução/Montagem)
Carlos Nascimento já foi cotado para assumir o Jornal Nascimento. (Foto: reprodução/Montagem)

Carlos Nascimento já foi favorito para assumir a bancada do Jornal Nacional

O mundo da televisão é muito dinâmico, com momentos de altos e baixos para muitos artistas, jornalistas e apresentadores, e oportunidades podem mudar o rumo de toda a sua carreira. Carlos Nascimento ilustra bem essa situação.

Nos anos 1980 e 1990, ele já foi considerado um dos principais jornalistas da Globo, comandando diversos telejornais da emissora, como o Globo Rural, SPTV, Bom Dia São Paulo e até mesmo o Jornal Nacional, mas como apresentador eventual.

Nascimento esteve presente em cobertura de eventos marcantes ao longo de anos, como a morte de Tancredo Neves (1985), o impeachment de Fernando Collor (1992), a morte de Ayrton Senna (1994) e a Copa do Mundo de 1994. Diante disso, o jornalista era o grande favorito para suceder Cid Moreira na bancada do Jornal Nacional de forma definitiva.

O próprio diretor de jornalismo da Globo na época, Alberico Souza Cruz, confirmava que Carlos Nascimento era o nome ideal para assumir a bancada do Jornal Nacional. Apesar disso, o jornalista desconversava sobre o assunto, garantindo que a emissora ainda não havia conversado com ele sobre isso.

Jornalista Carlos Nascimento. (Foto: reprodução/SBT)
Jornalista Carlos Nascimento. (Foto: reprodução/SBT)

Jornalista perdeu vaga no JN para William Bonner

“Ainda não houve qualquer conversa comigo nesse sentido, mas pode ser uma estratégia da emissora. Quando renovei meu contrato, o Alberico disse que queria mais coberturas externas e ancoragem na rua. Eu só viria para o Rio se tivesse uma proposta. Por enquanto, estou cobrindo as férias do Sérgio [Chapelin]”, contou o âncora na época.

Porém, tudo mudou em 1996, quando Alberico deixou o comando de jornalismo da Globo e passou o bastão para Evandro Carlos de Andrade, que decidiu promover uma verdadeira reformulação no Jornal Nacional, com Cid Moreira e Sérgio Chapelin deixando a bancada. No entanto, o executivo não elegeu Nascimento para a função, e sim William Bonner, juntamente com Lillian Witte Fibe, que depois de dois anos deixou a bancada e cedeu seu lugar para Fátima Bernardes.

Em 2004, Carlos Nascimento deixou a Globo e foi para a Band. Em 2006, ele assinou contrato como SBT para comandar diferentes telejornais. Em 2020, no entanto, o jornalista acabou rompendo com a emissora de Silvio Santos em comum acordo e atualmente está fora do ar.